I – Melô da Dilma

 

Eu ri à beça com esse vídeo que foi compartilhado por um amigo em uma das listas de discussão católica da qual participo. Apreciem 😀

 

 

II – Brasão do Papa é redefinido: agora com o “detalhe” da Tiara Pontifícia!

 

Fonte: Religión Confidencial

 

Durante el Ángelus del domingo, 10 de octubre, se pudo ver por primera vez el nuevo escudo de Benedicto XVI, decorado según el antiguo uso de la tiara. El anterior conservaba algunos elementos originales del escudo episcopal del cardenal Joseph Ratzinger y descartaba la tradicional triple tiara pontificia, reemplazándola por una mitra.

Este escudo papal, bordado totalmente a mano, ha sido diseñado por el laboratorio italiano de vestiduras sagradas Ars Regia. Presenta el escudo con los emblemas del Papa y el palio adornado con cruces rojas. La parte externa se inspira en el escudo del papa Barberini, que se puede ver en los pilares del baldaquino de Bernini, en la Basílica de San Pedro.

[…]

Uma matéria, em português, sobre o mesmo assunto pode ser lida no Direto da Sacristia.

 

III – A todos os comunicadores católicos

 

Muito interessantes as observações feitas por Jesús Colina, fundador e diretor editorial de agência católica de notícias Zenit, em uma conferência pronunciada no Congresso Mundial da Imprensa Católica. O Religión en Libertad reproduziu de forma sistemática algumas declarações de Colina. Destaco dois parágrafos:

 

Internet debería ser un reflejo de la vida de la diócesis, y no simplemente un instrumento de comunicación institucional de la oficina de comunicación y relaciones públicas de la diócesis. La interactividad auténtica tiene lugar cuando la vida real queda fielmente reflejada en la realidad virtual.

[…]

Cuando una Iglesia comunica en Internet como comunión, en comunidad, la realidad deja de convertirse en virtual para hacerse algo muy real, pues pone en contacto al navegante con la vida real de la diócesis, parroquia o comunidad. Y entonces es cuando se logra la mayor interactividad, cuando de la realidad virtual se pasa al “encuentro”, que es lo que al fin y al cabo cambia la vida de las personas.

Anúncios

Fonte: Zenit

BRASÍLIA, quinta-feira, 16 de setembro de 2010 (ZENIT.org) – A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) definiu nessa terça-feira os detalhes finais do debate entre os candidatos à presidência da República, que acontecerá na UCB (Universidade Católica de Brasília), no próximo dia 23.

O debate é promovido pela Comissão Brasileira Justiça e Paz, Universidade Católica de Brasília, Associação Nacional de Educação Católica e Associação Brasileira de Universidades Comunitárias, com o apoio da CNBB.

Segundo informa a assessoria de imprensa da CNBB, participaram da reunião os representantes das candidaturas de Marina Silva (PV), José Serra (PSDB), Dilma Rousseff (PT) e Plínio Sampaio (PSol), candidatos à Presidência cujos partidos têm representação na Câmara dos Deputados.

De acordo com o secretário executivo da Comissão Brasileira de Justiça e Paz, Daniel Seidel, o debate irá priorizar o tempo de exposição dos candidatos com uma pauta voltada para os problemas sociais que afetam diretamente a população brasileira.

“Os candidatos terão qualidade do tempo e de espaço para responder as questões, para que haja profundidade e compromisso com aquilo que eles têm condições para enfrentar os grandes problemas nacionais. A pauta terá como foco os mais empobrecidos da sociedade, ou seja, irá olhar para a sociedade que nós queremos com o voto, privilegiando aquilo que vai ser a construção de um Brasil novo”, disse.

Seidel enfatizou os objetivos do debate. “Nosso desejo é proporcionar aos católicos, aos cristãos e à sociedade em geral um debate que reflita sobre a situação do país e quais são as proposições que os candidatos apresentam para enfrentar esses grandes problemas, desde a questão do desenvolvimento urbano à moradia, reforma agrária, família e questões referentes ao desenvolvimento humano. Os temas ligados à defesa da vida estarão inseridos nesse debate também”, afirmou o secretário.

O debate acontecerá no próximo dia 23, das 21h30 às 23h30, e será dividido em quatro blocos e três intervalos. Cada candidato terá, em média, 3 minutos para responder às perguntas. Cada um poderá levar até 43 convidados. Cada uma das entidades organizadoras poderá convidar 50 pessoas. O público é estimado em 500 pessoas.

Além das TVs e rádios de inspiração católica, os sites da Universidade Católica de Brasília e das entidades promotoras transmitirão o debate ao vivo.

Eu quase esqueço de divulgar esta importante iniciativa do Patricardo Latino de Jerusalém, publicada em Zenit esta semana (grifos meus):

 

JERUSALÉM, domingo, 29 de agosto de 2010 (ZENIT.org) – Comunidades contemplativas da Terra Santa ofereceram sua disponibilidade para rezar pelas pessoas que queiram comunicar-lhes suas intenções por meio do correio eletrônico. Trata-se de uma iniciativa que acaba de ser proposta pelo Patriarcado Latino de Jerusalém, neste momento de preparação do primeiro sínodo da história do Oriente Médio, que será realizado em Roma no próximo mês de outubro.

 O patriarcado ofereceu uma lista de 9 destinatários de correio eletrônico, cada um pertencente a uma comunidade religiosa presente na terra do Senhor.

 “Podeis confiar-lhes vossas intenções, indicando os detalhes que desejais comunicar-lhes. Tudo isso ficará entre vós e a comunidade!”, garante o Patriarcado.

As comunidades e seus e-mails são: 

Clarissas de Nazaré: clairemarie1884@bezeqint.net Carmelitas do Monte Carmelo, Haifa: zanotiel@netvision.net.il

 Mosteiro de Emanuel, Belém: community@emmanuelmonastery.org

 Irmãs Brigidinas de Belém (em inglês e italiano): brigida@p-ol.com

 Silenciosas Operárias da Cruz – Mater Misericordiae, Jerusalém: betaniasilenziosi@yahoo.com

 Beneditinas, Monte das Oliveiras, Jerusalém (francês, inglês, italiano): benetur@netvision.net.il

 Clarissas de Jerusalém: mi.yesh@gmail.com

 Carmelo de Pater, Jerusalém: edcarmelpn@live.com

 Irmãzinhas de Belém, Bet Gemal, Bet Shemeshmidbar@gmail.com

 Pequena Família da Ressurreição, Jerusalém: pfrjer@alqudsnet.com

 

  Para mais informações, é possível contactar o Patriarcado Latino de Jerusalém: secretary3@latinpat.org 

 

——–

 

A mim particularmente sempre confortou muito saber que, na Igreja, temos garantida a intercessão de tantos homens e mulheres que, em seus conventos e mosteiros, mantêm acesa a sarça da comunhão com Deus. Em um mundo tão atribulado e cheio de preocupações, onde as pessoas parecem não mais ter tempo para dedicar-se à oração, estas pessoas suprem a sede de Deus que todos temos. Rezam, combatem, sofrem, esperam adoram: tudo aquilo que o homem moderno – por orgulho, e com a desculpa esfarrapada de falta de tempo – recusa-se a fazer. Além de tudo isso, as comunidades contemplativas a que Zenit se refere dispuseram-se a rezar pelo outro. Sair um pouco de si, esquecer os próprios desejos e aspirações e suplicar pelo outro é uma demonstração ímpar de caridade fraterna. Enviem os seus e-mails, não percam esta oportunidade, confiem e acreditem que Deus não desprezará estas intenções. Parabéns ao Patriarcado Latino de Jerusalém. Divulguem!

Há muito o Papa Pio XII, de veneranda memória, é criticado e perseguido por sua suposta omissão durante o período em que grassava a barbárie nazista. A crítica é, obviamente, injusta e caluniosa. Aliás, às vezes me pego pensando que obrigação tinha o santo padre de salvar os judeus das garras de Hitler e seus asseclas. Ora, cristãos foram e são perseguidos o tempo inteiro – da era apostólica até os dias atuais – e, ao que me consta, nenhum líder religioso sentiu-se no dever moral de tomar a defesa dos cristãos… Mas, deixando de lado esse aspecto, o fato é o seguinte: Zenit publicou que a “Pave the Way Foundation (PTWF) anunciou o descobrimento de documentos vaticanos de grande importância” a respeito do papel do então cardeal Eugênio Pacelli na “salvação” dos judeus. Trago aqui alguns trechos da matéria que me chamaram a atenção (grifos meus):

“Até agora, temos mais de 40 mil páginas de documentos, vídeos de testemunhas oculares e artigos em nosso website (www.ptwf.org) para ajudar os historiadores a investigar este período.”

O historiador e representante da PTWF na Alemanha, Michael Hesemann, visitou regularmente o Arquivo Secreto vaticano, aberto recentemente, e continua realizando descobertas significativas. Seu último estudo dos documentos originais publicados anteriormente revela ações secretas para salvar milhões de judeus desde 1938, três semanas depois da Noite dos Cristais.

“Dado que muitos dos críticos deste pontificado ainda não aceitaram a direta e provada ameaça nazista contra o Estado Vaticano e a vida do Papa Pio XII, parecem não compreender que era necessário usar subterfúgios, dado que eram enviadas somente diretivas criptografadas ou verbais.”

“Em muitos casos, os historiadores ignoram a linguagem vaticana, que às vezes usa o latim para expressar o significado oculto destas petições.”

Não se empenhar em salvar somente os judeus (…), mas também sinagogas, centros culturais e tudo o que pertencia à sua fé.”


40 mil páginas! É isso mesmo! Enquanto os inimigos da Igreja não têm sequer uma página de acusação procedente contra o Cardeal Pacelli (depois Papa Pio XII) a Igreja apresenta 40 mil laudas de defesa! E mais: ele não salvou uma ou outra família de judeus, mas milhões! Salvou a eles e até mesmo à cultura religiosa deles. Que estes números sirvam, se não para calar a voz dos inimigos da Igreja, pelos menos para desmascarar a desonestidade e/ou imperícia de certos historiadores.

I – O aniversário de D. Fernando Saburido

Ontem o arcebispo de Olinda e Recife, S. Excª. Revmª. D. Fernando Saburido, fez 63 anos de idade! Segundo fui informado, o arcebispo não quis “alarde” na comemoração. A discrição exigida fez com que muitos “passassem batidos” em parabenizá-lo. Mas, mesmo com atraso, rezemos para que Deus lhe dê uma vida longa e santa. Que o senhor lhe conceda discernimento para reger, piedade para santificar e sabedoria para ensinar. Parabéns, D. Fernando!

II – Encerramento do Ano Sacerdotal (i)

Saiu em Zenit que o Papa Bento XVI usará o cálice que foi de S. João Maria Vianney! Vejam:

[Nesta] sexta-feira, dia do encerramento do Ano Sacerdotal, a Igreja viverá “a Celebração Eucarística com o maior número de concelebrantes da história de Roma. Estão previstos cerca de 15 mil”, anuncia o mestre das celebrações litúrgicas pontifícias.

Dom Guido Marini revela, além disso, que Bento XVI utilizará, na celebração, o cálice que pertencia a São João Maria Vianney, que hoje é conservado na paróquia de Ars.

[…]

No final da concelebração, antes da bênção final, o Santo Padre renovará o ato de consagração dos sacerdotes a Nossa Senhora, segundo a fórmula utilizada por ocasião da recente peregrinação a Fátima.

III – Encerramento do Ano Sacerdotal (ii)

Fonte: Site do Vaticano

ORAÇÃO PARA O ANO SACERDOTAL

Senhor Jesus, em São João Maria Vianney quiseste dar à Igreja uma comovente imagem da tua caridade pastoral. Animados por seu exemplo e em sua companhia, faz que vivamos em plenitude este Ano Sacerdotal.

Como ele, diante de tua Eucaristia, faz que possamos aprender como é simples e diária a tua Palavra a instruir, como é terno o amor com que acolhes os pecadores arrependidos, como é consolador abandonar-se confiantemente a tua Mãe Imaculada.

Senhor Jesus, por intercessão do Santo Cura d’Ars, faz que as famílias cristãs se tornem “pequenas igrejas”, nas quais todas as vocações e todos os carismas, infundidos pelo teu Santo Espírito, possam ser acolhidos e valorizados. Concede-nos, Senhor, de poder repetir, com o mesmo ardor do Santo Cura, as palavras com as quais costumava se dirigir a Ti:

Amo-te, meu Deus, e meu único desejo é amar-Te até o último respiro de
minha vida.

Amo-Te, ó Deus infinitamente amável, e prefiro morrer amando-Te do que
viver um só instante sem amar-Te.

Amo-Te, Senhor, e a única graça que peço é a de Te amar eternamente.

Meu Deus, se a minha língua não puder dizer a cada instante que Te amo,
quero que meu coração o repita tantas vezes quantas eu respiro.

Amo-Te, ó meu Deus Salvador, porque foste crucificado por mim, e me tens
aqui crucificado por Ti.

Meu Deus, dá-me a graça de morrer amando-Te e sabendo que Te amo.
Amém.

IV – Lady Gaga irrita blogosfera católica


A cantora Lady Gaga tentou ridicularizar a fé católica no seu último clipe. Taiguara Fernandes e Jorge Ferraz comentaram o assunto. Leiam e protestem também!


V – Boff apóia candidatura de Marina Silva, do PV

Fonte. Globo.com

O teólogo Leonardo Boff, ligado ao presidente Lula, declarou apoio à Marina. “Marina nos possibilita reencantar de novo com a política. Traz o olhar novo e é portadora de um sonho de um Brasil que talvez seja, dentro de alguns anos, a grande potência dos trópicos”.

             A Igreja, já há algum tempo, voltou-se [algumas vezes com preocupação] para o desenvolvimento dos meios de comunicação social. Entre outras coisas, a Santa Madre Igreja tem recordado aos comunicadores [tanto “amadores” quanto profissionais] a importância de cultivar [e guiar-se de acordo com] princípios éticos no exercício da atividade de comunicação. Bem assim, a Igreja lhes tem alertado quanto à urgência de fazer com que os veículos de comunicação sejam autênticos transmissores da verdade. Ética e Verdade são os pontos–chave do discurso eclesiástico sobre os mass media.

              Vale recordar que a própria Igreja nunca temeu adentrar neste universo da comunicação para explorá-lo, examiná-lo e extrair dele o [muito] que há de bom. Neste sentido é que foram criados a Rádio Vaticana, o L’ Osservatore Romano, e outros meios de divulgação e propagação da Fé a todas as gentes. Em certo sentido, os meios de comunicação contribuem para a realização da atividade missionária da Igreja.   

             Bom, fiz questão de introduzir este post desta maneira para contextualizar bem a matéria que Zenit publicou na sua edição de hoje. Foi noticiada a criação do “primeiro diretório global em linha dos meios de comunicação católicos” O diretório foi chamado de Inter Mirifica em referência ao Decreto promulgado pelo Concílio Vaticano II sobre os meios de Comunicação Social .

              O lançamento aconteceu durante o Mutirão Latino-americano e Caribenho de Comunicação (MUTICOM), realizado na PUC do Rio Grande do Sul. Dom Claudio Maria Celli, presidente do Conselho Pontifício para as Comunicações Sociais, na conferência em que apresentou o Inter Mirifica, disse que “somos chamados a ser sal e luz, a promover uma cultura de respeito, diálogo e amizade”. O prelado também recordou que “os blogs e as redes sociais são espaços de encontro e difusão muito importantes”.

             O Inter Mirifica contará com colaboradores para a formação de seu banco de dados. Eu já me cadastrei como colaborador e estou aguardando a aprovação da solicitação. 😉 Segundo a mensagem que se segue ao cadastramento, se o meu pedido for aceito, eu poderei “criar novos registros de contatos de Mídias Católicas e enviar informações para atualizar o Diretório de Mídias Católicas”. Em outras palavras: vou poder contribuir indicando veículos de comunicação [sites, blogs, jornais, revistas, etc.] que, no meu entender, sejam autenticamente católicos. A idéia me parece boa. Por isso recomendo que os colegas blogueiros e proprietários de sites católicos também requeiram a sua inscrição como colaboradores do Diretório. Confesso que tenho receio de que este espaço acabe servindo à divulgção de veículos de formação e informação pseudo-católicos… Mas vejamos. É cedo para pensar nisso. Sejamos esperançosos. 😉

             Para finalizar gostaria de citar, de modo breve, o ensinamento de dois pontífices acerca dos mass media. Os chefes da Igreja nos falam da transposição dos limites temporais e espaciais [que é bastante verificável se pensarmos no alcance da internet], do “requisito moral fundamental” da comunicação, e da relação entre “liberdade e comunicação”:

             Em 7 de Maio de 1967, por ocasião do 1º Dia mundial das Comunicações Sociais, o Sua Santidade, o papa Paulo VI, pronunciou-se nestes termos:

 “Graças a essas maravilhosas técnicas, a convivência humana assumiu dimensões novas: o tempo e o espaço foram superados, e o homem tornou-se um cidadão do mundo, co-participante e testemunha dos acontecimentos mais distantes e das vicissitudes de toda a humanidade. Como disse o Concílio, “podemos falar de uma verdadeira transformação social e cultural, que tem os seus reflexos também na vida religiosa” (Gaudium et spes, Introdução): para esta transformação contribuíram positivamente os meios de comunicação social e, às vezes, de forma determinante, enquanto se esperam novos e surpreendentes progressos, como a próxima ligação em escala mundial das estações transmissoras da televisão, por meio dos satélites artificiais.

 Em tudo isto vemos delinear-se e agir um admirável desígnio de Deus providente, que abre à inteligência humana sempre novos caminhos para o seu aperfeiçoamento e para a consecução do fim último do homem”.

 

              O papa João Paulo II, na sua Mensagem para o 37º Dia Mundial das Comunicações Sociais, também fez considerações muito oportunas:

 “O requisito moral fundamental de toda a comunicação é o respeito pela verdade e o seu serviço. A liberdade de procurar e de dizer a verdade é essencial para a comunicação humana, não apenas no que se refere aos fatos e às informações mas também, e de maneira especial, no que diz respeito à natureza e ao destino da pessoa humana, à sociedade, ao bem comum e ao nosso relacionamento com Deus. Os mass media têm uma responsabilidade iniludível neste sentido, uma vez que constituem o foro moderno em que as ideias são compartilhadas e as pessoas podem crescer em compreensão mútua e em solidariedade”.

             E acrescentou:

“A liberdade é uma condição prévia para a paz verdadeira, assim como um dos seus frutos mais preciosos. Os mass media servem a liberdade, quando servem a verdade: e impedem a liberdade, na medida em que se separam da verdade, difundindo falsidades ou criando um clima de reação emotiva malsã diante dos acontecimentos. Somente se tiverem acesso livre às informações verdadeiras e suficientes, é que as pessoas poderão procurar o bem comum e considerar as autoridades públicas responsáveis”.

 

 

 

I – Modelo “católica” profana crucifixo em propaganda que promove a adoção de animais.

 

A publicação foi feita por ACI. Um trecho da matéria diz que:

 

Em um dos avisos que formam parte da campanha de PETA contra a venda de mascotes, a modelo Joanna Krupa aparece nua luzindo asas de anjo, e oculta algumas parte de seu corpo com um crucifixo. No aviso se lê: “Sejamos uns anjos para os animais, adotando a pequenas criaturas, não comprando-as”.

[…]

No outro, Krupa – que foi capa da revista Playboy – aparece com as asas de anjo em topless, carregando a um cachorrinho e sustentando um terço na mão direita.

 

Profanações, sacrilégios, sátiras contra a Fé e depravação sexual já viraram moda. Nisto não há nenhuma novidade. Pena é que as maldições e os anátemas não tenham, também, se popularizado. Pena é que as autoridades não mais invoquem a ira de Deus e dos Santos Apóstolos sobre os inimigos da Igreja. Pena é que as punições sejam tão insossas. Bom, mais deixa para lá. Pelo menos a Liga Católica se pronunciou de modo contundente:

 

[…] O presidente da Liga Católica, Bill Donohue, esclareceu que “gatos e cães estão mais a salvo em lojas de mascotes que nas mãos dos empregados da PETA. As lojas de mascotes não destroem a iconografia cristã nem se envolvem em reclamações irreligiosas baratas”.

 

 

 

 

II – Brasília se prepara para ser capital da Eucaristia com ocasião do Congresso Eucarístico Nacional

 

A ACI também publicou que Brasília será a sede do XVI Congresso Eucarístico Nacional de 2010 – que ocorrerá entre os dias 13 e 16 de maio de 2010.

A existência de um Congresso Eucarístico é, em si, ótima. Aprofundar o sacramento que é o “centro e ápice da vida da Igreja” é uma coisa maravilhosa e que, certamente, agrada ao coração de Deus. Entretanto… dêem uma olhada nos capítulos do texto que servirá de base à meditações do congresso:

O texto-base é dividido em três capítulos: Eucaristia, Pão da Unidade; Pão da Unidade, Vida dos Discípulos Missionários; e, Fica conosco, Senhor! O primeiro capítulo reflete as bases divino-humanas da unidade presentes na Eucaristia. O segundo aborda a vida eucarística em comunidade e o terceiro se aproxima da realidade econômica, política, religiosa e sociocultural do mundo, estabelecendo um diálogo ecumênico a partir da Eucaristia.

 

Sei não, mas isso está me cheirando a Teologia da Libertinagem (TL)… A propósito, alguém sabe quando é que o bendito Documento de Aparecida sai de moda? Não agüento mais essa história de discípulos e missionários!

 

Aos que se interessarem, visitem a página do Congresso Eucarístico na internet clicando aqui.

 

 

III – Anglicanos na Igreja Católica: ecumenismo não foi arruinado

 

Zenit publicou um breve comentário de Sua Eminência Reverendíssima, o Cardeal Odilo Scherer, a respeito da acolhida aos anglicanos por parte da Igreja. Eis aqui alguns trechos da reportagem:

 

O arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Scherer, considera que as relações ecumênicas com a Comunhão Anglicana “não foram arruinadas, ou diminuídas” com a acolhida da Igreja Católica aos anglicanos que desejam estar em plena comunhão com ela.

Em artigo desta semana do jornal arquidiocesano O São Paulo, Dom Odilo afirma que “a Igreja Católica nada mais faz que acolher o pedido livre e pessoal que recebe de fiéis da Igreja Anglicana”.

[…]

 “É sinal claro”, segundo o cardeal, de que as relações ecumênicas com a Comunhão Anglicana não ficaram comprometidas. “O Ecumenismo vai adiante e vai produzindo frutos, mediante a ação do Espírito Santo”, afirma o arcebispo.

 

Que pena! D. Odilo perdeu uma grande oportunidade de ensinar! Perdeu uma grande chance de mostrar que o ecumenismo faz-se palpável exatamente em casos como o dos anglicanos: com os filhos pródigos retornando à casa paterna. É uma grande bobagem acreditar que as “relações ecumênicas” são eternas e têm um fim em si mesmas. Ora, o ecumenismo é uma maneira de resolver um problema (o das “feridas na unidade da Igreja”), de modo que – quando solucionado este problema – cessa a “atividade ecumênica”. Isto ainda não é óbvio?