Saiu uma matéria no Repórter de Cristo, ontem [16], sobre duas pastoras protestantes, lésbicas, que pretendem ir à Parada Gay que acontecerá no fim deste mês, em São Paulo.  Percebam: não fosse a esperança uma característica peculiaríssima dos cristãos, poder-se-ia dizer que, de fato, “o mundo está perdido”…  Heresia, sodomia e hipocrisia: tudo junto em um par de mulheres.

As “pastoras” chamam-se Lanna Holder e Rosania Rocha. Poucas coisas são tão engraçadas quanto ver a tal Lanna Holder pregando sobre o nepotismo dentro das próprias seitas protestantes: o vídeo postado no youtube é, simplesmente, cômico. O site dela não fica atrás: lá vendem-se CD’s, DVD’s e… canecas do ministério!

Mas, não obstante a existência e atuação dessa “pastora” e da sua “companheira” possa parecer hilária, há algo de muito triste nisso tudo: o fato de algumas pessoas prostituírem a verdade para fazer da religião uma atividade mercantil é simplesmente lastimável. É deprimente que os interesses egoístas de uma pessoa levem-na não apenas a mergulhar de cabeça no erro e no pecado, mas também a induzir e conduzir outras tantas almas ingênuas consigo. Quando vemos essas duas figuras afirmarem que a homossexualidade “não é opção, é definitivamente uma orientação” dá raiva. A covardia que fez com que elas se curvassem aos seus desejos, agora as impulsiona a admitir a inclinação pecaminosa que têm como sendo um imperativo da natureza.

É triste ver pessoas carentes de atenção serem atraídas à igreja-loja dessa dupla. É deplorável que as consciências estejam a tal ponto adormecidas que não se perceba mais a gravidade de afrontar à lei de Deus. É de fazer chorar e tremer o fato de que o dom do temor de Deus está rarefeito na nossa sociedade: não porque Deus não o queira conceder, mas por que as pessoas não estão dispostos a recebê-lo.

Se for verdade que famílias frequentam a Comunidade Cidade de Refúgio [a igrejola fundada pela dupla de lésbicas], é indignante que certos pais tenham tenham sido atingidos pela cultura gayzista em tal medida que já não sabem mais discernir quais valores e princípios devem ser transmitidos aos seus filhos. Aviltando a sua própria dignidade de famílias, esses pais acabam comprometendo a formação de seus filhos e confundindo a cabeça de seus próprios pupilos [dado que em casa as crianças veem os pais, heterossexuais, e na  “igreja” veem os pares de gays postos em condição de igualdade].

Lamentável é que em duas semanas o público frequentador dessa igreja tenha mais dobrado (!). Mas, como diria, o saudoso papa Leão XIII: rerum novarum cupidi [a sede de inovações]… Rezemos!

Anúncios

               I – Lenda urbana

 

             Saiu na Folha:

O pastor norte-americano Bill Wiese afirma, em “23 Minutos no Inferno”, que às 3h da manhã de 23 de novembro de 1988 foi tragado pelo chão. A história descrita no livro se tornou um best-seller do jornal “New York Times”.

Quando acordou, estava completamente nu em uma cela de pedra, com temperatura insuportável. “Ainda não havia me dado conta do que estava acontecendo,” diz Wiese no livro. “Mas acabara de ser lançado no Inferno”.

             Esperamos em Deus que isto não seja nenhum sinal, nem prefiguração de coisa alguma… 😉 Agora, uma dúvida inquietante: como ele contou o tempo? No inferno há temporalidade? Meio estranho…

 

                II – “A piada de Fidel” ou “Fidel: a piada”?

 

              Está no El País:

“Jamás Cuba ha ordenado el asesinato de un adversario”. Así lo asegura Fidel Castro en un artículo leído por un locutor en la televisión nacional, con el que el líder cubano sale al paso de las críticas internacionales contra el Gobierno de la isla por la polémica muerte del opositor Orlando Zapata, fallecido la semana pasada al cabo de 85 días en huelga de hambre. En la nota, el ex presidente cubano defiende especialmente al mandatario brasileño, Luiz Inácio Lula da Silva, a quien en los últimos días se ha acusado de ignorar el caso de Zapata en su reciente visita a La Habana . “Algunos envidiosos de su prestigio y de su gloria, y peor aún, los que están al servicio del imperio (EE UU), lo criticaron por visitar Cuba”, escribe. Pero “Lula conoce desde hace muchos años que en nuestro país jamás se torturó a nadie, jamás se ordenó el asesinato de un adversario, jamás se mintió al pueblo. Tiene la seguridad de que la verdad es compañera inseparable de sus amigos cubanos”, agrega.

             Obviamente, Fidel não poderia deixar o “companheiro Lula” de fora dessa piada. Afinal, quem é o presidente mais bem-humorado da América Latina?

             O Jornal L’Osservatore Romano tem causado muitas decepções nos últimos tempos. Depois de publicarem aquele infeliz artigo de D. Rino Fisichella – em que o presidente da Pontifícia Academia para a Vida criticava a atitude de D. José Cardoso Sobrinho pela atuação no caso do aborto da menina de Alagoinha –, o jornal, completando a série de publicações trágicas, teceu um elogio a João Calvino, o herege que criou uma igreja à sua imagem e semelhança – os calvinistas.  Muitos sites fizeram questão de registrar esse elogio: entre eles, este e este.

            O artigo foi publicado dentro do contexto dos 500 anos do nascimento do protestante francês João Calvino (Jean Calvin, 1509-1564). O L’Osservatore Romano aplicou a Calvino o título de “um cristão” que deixou “marca profunda na face da terra”. De fato, tendo a concordar com o jornal no que se refere à marca (eu diria, ferida…) deixada por Calvino.

            Segundo o jornal, “dois homens tiveram a força de mudar o destino europeu: Jean-Jacques Rousseau que transformou (com suas idéias) o século XIX e o XX, e Calvino, ainda mais”.

            Como frisou a Rádio Vaticano, o artigo publicado no L’Osservatore Romano no sustenta que “a organização calvinista é uma genial criação”, que soube “resistir a todas as mudanças e revoluções da modernidade” graças a sua “superioridade e eficácia, comparada ao rígido autoritarismo do mundo luterano”.

            Agora, vejam quem era Calvino:

            Calvino nasceu no dia 10 de julho de 1509, na Picardia, norte da França e morreu em Genebra no dia 27 de maio de 1564.

            Em 1533, tornou-se adversário da Igreja Católica e condenou, assim como Lutero, o poder do Papa e dos concílios, assim como a confissão.

            Sua obra-prima, “L’Institution de la religion chrétienne” (1536), A Instituição da Religião Cristã, preconiza um protestantismo rigoroso.

            Vítima das perseguições aos protestantes na França, fugiu para Genebra em 1536, onde faleceu em 1564. Genebra havia se tornado, definitivamente, um centro do protestantismo europeu.

            Pergunto: dá para acreditar que elogiaram um sujeito desses? Acho que o Pe. Federico Lombardi, SJ, diretor da Sala da Imprensa da Santa Sé, surtou!

 

            O vídeo é antigo, mas sempre atual… Recebi-o por e-mail hoje e resolvi assistir novamente. Talvez não devesse ter feito: esse vídeo me deixa indignado! Por diversos motivos:

 

            Indignado por saber que existe tanta gente besta que acredita nas lorotas de sujeitos como Edir Macedo e sua corja;

            Indignado por saber que existem pessoas – com Edir e sua gangue – que não tem respeito nenhum pelas almas. Não se está exigindo deles nem sequer zelo, mas tão-somente, respeito! Agindo de má-fé, esses pilantras pretendem anunciar Jesus e servir a Mamon! Coitados: esqueceram-se de que “é impossível servir a Deus e ao dinheiro” (Lc 16,13). Ludibriam o povo e não percebem que também estão enganando a si mesmos!

            Indignado por saber que alguns padres têm imitado a postura dos pastores protestantes no que diz respeito a fazer espetáculos para impressionar o povo. Parecem ter esquecido das palavras de João Batista: Illum oportet crescere, me autem minui“: “Importa que ele cresça e que eu diminua.” (Jo 3,30).

            Indignado por saber que as “celebrações ecumênicas” multiplicam-se em progressão geométrica, convencendo as pessoas de que “seja um padre ou um pastor, o que importa é que ambos falam de Deus…afinal, o que interessa é o amor… Deus é um só” . Às favas com esses comentários estúpidos! Um pastor não tem, nem de longe, a mesma dignidade de um sacerdote católico. O padre recebeu o Sacramento da Ordem das mãos de um Sucessor dos Apóstolos, enquanto o pastor acordou um dia e disse: “a partir de hoje, eu sou pastor”. Quem dos dois foi escolhido? E quem se escolheu? Quanto ao “amor”, lembremos que um das características da caridade é, justamente, “não buscar seu próprio interesse” (1Cor 13, 5)… E mais: se Deus é um só (o que é verdade) como explicar que milhares de seitas protestantes falem – muitas vezes divergindo umas das outras – em nome d’Ele? Acaso Deus revelou uma verdade a um, e outra – diametralmente oposta – a outro? E Deus erra? Por acaso Ele Se engana? Ou tem duas palavras? Ah, tenha santa paciência! O diabo, sim, é mentiroso e *pai* da mentira; é falso e enganador. Entenderam o que quis dizer, não é?! Ótimo.

            Indignado por saber que existe uma raça perniciosa de católicos que teima em classificar católicos e protestantes como “farinha do mesmo saco”. As trevas não têm comunhão com a luz! (2 Cor 6,14)

            Assistam ao vídeo e peçam a Deus que lhes dê o dom da demência. Só sendo demente para não se irritar com esse vídeo! Eu esqueci de pedir este dom extraordinário do Espírito Santo e acabei deixando-me provocar demais por este maldito vídeo! Argh! Posso ter me excedido, mas pelo menos extravasei a raiva, me preservando, assim, de ter um infarto!