Importantíssimos o alerta e a recomendação de Sua Eminência, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, na seguinte nota – dirigida ao clero paulista [seguem trechos, com meus grifos]:

[…]

A pergunta que se refere à religião (“qual é sua religião?”) pode gerar confusão, perplexidade e distorção dos dados da realidade. De fato, quem responder “sou católico”, ou “minha religião é a católica”, será colocado diante de uma lista de nada menos que 27 opções de “católicos” ou de “religiões católicas” supostamente diferentes. Fica a perg/runta sobre os reais motivos dessa formulação da questão, quando boa parte das alternativas (bem 12) dizem respeito à mesma Igrejaeligião Católica Apostólica Romana. Nossos católicos poderão ser levados a indicar uma opção equivocada, que não corresponda à sua/nossa Igreja ou religião: Católica Apostólica Romana.

Portanto, recomendo que nossos fiéis católicos sejam oportunamente orientados a responder: “sou católico apostólico romano”, ou “minha religião é a Católica Apostólica Romana”. Sugiro que a questão seja explicada sem demora ao povo nas Missas (avisos) e em outras circunstâncias (jornais, revistas, internet). O Censo já está acontecendo. Em anexo, envio-lhes a lista do IBGE, relativa às opções de “católicos” constantes no Censo 2010.

Estimados padres, as questões acima expostas entram no nosso zelo pastoral, para conduzir, defender e servir, quais bons pastores, o rebanho do Senhor confiado aos nossos cuidados. Deus os abençoe e recompense!

Cardeal Dom Odilo P. Scherer

Arcebispo de São Paulo

——————-

O que se segue é a lista de “tipos de católicos” a que o Cardeal se refere no trecho acima, bem como uns oportunos comentários e esclarecimentos [cuja autoria eu não consigo precisar se é ou não de D. Odilo – dado que os recebi por e-mail de uma fonte que não me repassou esta informação]


Católica Apostólica Brasileira

Católica Apostólica Carismática

Católica Apostólica Cristã

Católica Apostólica Ortodoxa

Católica Apostólica Romana

Católica Armênia

Católica Bizântino

Católica Brasileira

Católica Carismática do Brasil

Católica do Brasil

Católica Maronita

Católica Melquita

Católica Não Apostólica

Católica Novo Mandamento

Católica Ortodoxica Armênica

Católica Ortodoxica Grega

Católica Ortodoxica Russa

Católica Pentecostal

Católica Renovação Carismática

Católica Renovada

Católica Síria

Católica Tradicionalista

Católica Ucraniana

Catolicismo Apostólico Romano

Católico Congregação Mariano

Católico Congregado Mariano

Católico Conservador

As Igrejas Católica Maronita, Católica Melquita, Católica Ucraniana, Católica Armênia e Católica Síria não são outras “religiões”, mas grupos de ritos diferentes da nossa própria Igreja Católica Apostólica Romana, todos unidos ao Papa. E “Catolicismo Apostólico Romano”, “Católico Congregado Mariano”, “Católico Congregação Mariana” também não são Igrejas nem religiões, mas associações e grupos de nossa Igreja. Ainda outras denominações que aparecem no elenco de “religiões” podem gerar equívocos e falsificação dos dados. Católico renovado, católico conservador, católico pentecostal, católico tradicionalista, Católica Renovação Carismática, Religião Católica Apostólica Carismática são todas denominações que podem deixar nosso povo católico sem saber exatamente se trata de sua própria tendência dentro de nossa Igreja, ou se são mesmo outras religiões, desvinculadas da nossa Igreja Católica Apostólica Romana. Que fazer diante da possível confusão em relação à pergunta sobre a religião no Censo 2010?

Antes de tudo, temos que constatar o fato: não somos os únicos que se apresentam como católicos, nem mesmo como católicos apostólicos romanos. Há vários grupos, não unidos com o Papa e a comunhão da nossa Igreja Católica, que usam esta mesma denominação. Isso mereceria um esclarecimento para nosso bom povo.Cada pessoa tem a liberdade de consciência e de religião; e tem o direito de saber quem é quem, em matéria de religião, e a qual grupo está aderindo. Verdade e religião não podem andar separadas. O uso equívoco da identidade religiosa lesa a liberdade religiosa dos outros.

Anúncios

Um alerta simples mas extremamente necessário – já que estamos na iminência das eleições.  D. Fernando Guimarães, Bispo de Garanhuns [PE], resumiu em uma só nota a questão do exercício do voto [e da responsabilidade inerente a este exercício], da necessidade de fazer os candidatos passarem pelo crivo da Moral Cristã antes de receberam o voto de um cristão, e da proibição aos padres e religiosos de exercerem atividade político-partidária. É sempre bom recordar estas coisas. D. Fernando fê-lo em poucas e claras linhas. Genial.


————–

Prot. N. 0294∕10

NOTA SOBRE AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES

Dom Fernando Guimarães, Bispo Diocesano de Garanhuns, no exercício de sua responsabilidade pastoral, tendo em vista as próximas eleições estaduais e federais, recorda aos fieis católicos o seguinte:

1.                 A Igreja Católica não tem candidatos próprios, nem recomenda qualquer candidato. O exercício do voto é um direito e dever de cada cidadão, que deve exerce-lo segundo a sua própria consciência.

2.                 Os católicos são convidados a cumprirem este seu dever cívico, com responsabilidade e critério. Para isso, devem analisar com atenção a pessoa de cada candidato, a sua honestidade e probidade pessoal e o seu programa de governo. Eventuais propostas de governo contrárias à lei natural, à moral e à doutrina católica serão critérios orientadores para se votar ou não em um candidato.

3.                 É ilegal e imoral vender o próprio voto, em troca de benefícios de qualquer espécie.

4.                 Os padres e religiosos não podem exercer atividade político-partidária e os locais ligados à Igreja Católica não devem ser utilizados para eventos referentes à campanha eleitoral de qualquer partido ou coligação.

5.                 Esta Nota seja lida nas Santas Missas dominicais dos dias 4 e 5 e dos dias 11 e 12 de setembro de 2010.

Garanhuns, na sede da Cúria Diocesana, aos 1º de setembro de 2010.

+ Fernando Guimarães

Bispo Diocesano de Garanhuns

[Às vezes os políticos tem um lapso de sensatez. A nota abaixo talvez demonstre isso. Não sabemos as reais intenções de uma publicação como essa – sobretudo porque estamos em ano eleitoral -, mas não podemos deixar de reconhecer que, enfim, alguém levantou a voz para condenar e manifestar publicamente repúdio a este projeto ardiloso do governo federal de afrontar os autênticos diretos humanos com o PNDH3]

 

 

Fonte: O Globo

 

Nota do DEM e PSDB sobre decreto 7.037/09 –

 Plano Nacional de Direitos Humanos

 

 

 

 

1. O cerceamento da liberdade de pensamento e expressão pelo Estado compromete e condena a versão particularíssima de direitos humanos que o governo federal impingiu à Nação por meio do Decreto 7.037, de 21.12.2009. O Decreto, não obstante o compromisso explícito do ministro dos Direitos Humanos, Paulo Vanucchi, de revê-lo e abri-lo à discussão com o Congresso Nacional, está em pleno vigor, mantendo ambiente de receio e espanto na sociedade brasileira.

 

2. Nesse decreto, em nome de uma causa nobre – os direitos humanos -, constam decisões que a negam, invertem e agridem, tais como, entre muitas outras:

 

-Restrições à liberdade religiosa (proibição de uso de seus símbolos em locais públicos);

– Restrições à liberdade de imprensa e à produção cultural;

– Quebra do monopólio do Judiciário para a resolução de conflitos (cláusula pétrea constitucional)

– Estímulo às invasões de terras e afronta ao direito de propriedade

– Banalização do aborto, tema cujo âmbito de discussão e decisão é o Congresso Nacional.

 

3. Repudiamos a tentativa de estabelecer, em nome dos direitos humanos – que devem pairar acima de ideologias e partidarismos -, um regime de restrições incompatível com o Estado democrático de Direito e as aspirações da sociedade brasileira.

 

4. Os partidos que assinam esta nota se comprometem a lutar contra esse decreto, pela dignidade e pelos direitos humanos de todos em nosso país, não importa o credo político ou religioso, tendo sempre em mente que:

 

– é dever do Estado brasileiro proporcionar a todos oportunidades de emprego e renda, garantir acesso à moradia, saúde, educação, segurança e promover a superação da pobreza;

– o desenvolvimento econômico e social do país pode e deve ser buscado por caminhos de liberdade e respeito efetivo aos direitos humanos e civis;

– o Congresso Nacional, com ampla consulta à sociedade, é o foro adequado para o debate de temas éticos envolvendo a vida em família e o direito à vida;

– a busca de realização dos verdadeiros direitos humanos não se coaduna com a imposição de modelos de Estado ou civilização fabricados em núcleos de militantes e em laboratórios intelectuais, por mais prestigiados que sejam;

– será com a participação de todos que iremos realizar o sonho de uma grande Pátria com liberdade, deveres e direitos equânimes garantidos a todos.

 

5. Por sua abrangência e pretensa transversalidade, o referido Decreto equivale a uma mini-constituinte. Se outro mérito não tem, revela a verdadeira face ideológica de um governo que faz profissão de fé democrática, mas que, em conferências com sua militância (que pretende substituir a sociedade civil), conspira pelo obscurantismo.

  

Rodrigo Maia – Presidente Nacional do DEM

Sérgio Guerra – Presidente Nacional do PSDB

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Diante do mal entendido ocorrido em função de uma entrevista minha publicada no Diário de Pernambuco, no último dia 10 do corrente mês, sobre ABORTO, gostaria de esclarecer os seguintes pontos:

1.      Comungo, em todos os sentidos, com a orientação da nossa Santa Igreja que defende a vida e não admite, em hipótese alguma, que ela seja eliminada porque é um dom de Deus e somente a Ele cabe tirá-la.

2.      Em nosso país, não é penalizado o aborto em casos específicos. Com a Igreja, entendo que esta norma contraria os princípios básicos da ética cristã e não pode ser aceita por tratar-se de uma lei que mata.

3.      No caso específico da menina de 10 anos, grávida de quatro meses, vítima de estupro do seu padrasto e submetida a aborto, discordo da solução tomada. Considerei anticristã por ceifar uma vida que poderia perfeitamente ser salva. Não faltaria família que se dispusesse a adotar o bebê, oferecendo-lhe afeto e dignidade.

4.      Neste mesmo dia 10 de abril, dei entrevistas à imprensa pernambucana e, facilmente, pode-se comparar e verificar, na quase totalidade dos casos, o meu posicionamento contrário ao aborto em qualquer situação.

5.      No caso específico do Diário de Pernambuco, considero a entrevista tendenciosa, com perguntas repetitivas, e reconheço que posso não ter sido claro, deixando margem para dúvidas que desejo retificar através desta nota.

6.      Acredito que todos que me conhecem e sabem da minha história, jamais terão dúvidas do meu amor à Igreja e fidelidade ao seu Magistério.

Recife, 15 de abril de 2010.

Dom Antônio Fernando Saburido, OSB

Arcebispo Metropolitano de Olinda e Recife

Eu não publiquei aqui no blog a primeira nota da Diocese de Penedo sobre as [escabrosas] práticas homossexuais de Mons. Luiz Marques Barbosa, de Arapiraca. O caso se tornou conhecido após matéria veiculada no programa Conexão Repórter do SBT. Uma fonte disse-me, hoje, que a equipe deste programa está percorrendo o Nordeste à procura de casos semelhantes ao do ex-Monsenhor Luiz [isto mesmo, ex-Monsenhor: o Núncio Apostólico no Brasil, D. Lorenzo Baldisseri, retirou dele o título de Monsenhor, tendo em vista que este título representa uma honraria papal da qual o referido sacerdote mostrou-se indigno].  Bem, o fato é: o Bispo de Penedo, D. Valério Breda, divulgou uma segunda nota sobre o caso; desta feita, apresentando as medidas que foram tomadas e o atual status do caso. Ei-la na íntegra:

Segunda nota da diocese de Penedo ao Povo de Deus

com relação aos padres acusados de abusos contra terceiros


A celebração da Semana Santa, com suas Liturgias enriquecidas pela fé e pelas belas tradições populares, alcançou especial culminância na Páscoa do Senhor Jesus, celebrada em nossas Paróquias com extraordinário fervor e participação do povo fiel.

Mesmo ainda abalados pelos fatos aberrantes que, como vendaval, sacudiram nossa Diocese, os fiéis católicos e muitos Irmãos evangélicos empreenderam o caminho seguro da penitência e da oração, que só poderá trazer paz e justiça a todos. Com sentimento de grande admiração, agradecemos a atitude magnífica do povo de Deus, que põe sua confiança e sua esperança no sacrifício expiatório da Paixão do Senhor.

Após vinte e quatro dias da primeira NOTA DA DIOCESE DE PENEDO, os desdobramentos que se seguiram pedem que o Bispo Diocesano venha a público para justa e necessária informação ao Povo de Deus e aos meios de comunicação, oferecendo o oficial posicionamento da Diocese, frente aos sinais aviltantes que escarnecem a imagem de nossa Igreja.

Por isso, o BISPO DIOCESANO vem a público para dar justa e necessária informação a todos os fiéis.

  1. A princípio, cabe o esclarecimento de que somente com a veiculação do programa televisivo “Conexão Repórter”, da Emissora SBT, em 11 de março de 2010, apresentando denúncias e identificando os envolvidos, foi que a Diocese tomou conhecimento daqueles fatos.
  2. Reiteramos nossa irrestrita e veemente reprovação de toda conduta escandalosa e possivelmente criminosa do MONS. LUIZ MARQUES BARBOSA, e pela parte que individualmente couber aos demais acusados, do MONS. RAIMUNDO GOMES NASCIMENTO e do PADRE EDILSON DUARTE, do Clero desta Diocese, supostamente envolvidos em atos de abuso ou constrangimento sexual contra terceiros, dentre eles possivelmente menores. Entristece-nos e humilha-nos pensar na situação dramática das possíveis vítimas e da Igreja escarnecida e vilipendiada a causa do comportamento imoral de quem deveria ser mestre de fé e de conduta ilibada. A reportagem televisiva veiculada no mundo inteiro expôs à pública execração o pecado revoltante, que clama por justiça e por inadiável e radical purificação e conversão.
  3. Sentimos ainda mais dilacerante e urgente o apelo por justiça e por reparação, caso seja confirmada a acusação de abuso ou constrangimento sexual contra menores pelos padres citados. Se há jovens vítimas, a Igreja se posiciona incondicionalmente ao lado deles.
  4. Levamos ao público conhecimento que todas as providências previstas no Código de Direito Canônico, estão energicamente sendo tomadas no que se refere a aplicação das penas cabíveis à real condição de cada um dos acusados, a saber:

  1. Com relação ao Monsenhor Luiz Marques Barbosa:

  • Dia 13 de março de 2010: Abertura de Investigação Prévia do Processo Administrativo Penal, de Nº 03/2010;
  • Dia 15 de março de 2010: Nomeação dos Revmos. Padres Daniel do Nascimento Santos e Menete Severiano de Melo Júnior como instrutores e investigadores canônicos;
  • Dia 20 de março de 2010: Notificação da Citação ao referido padre e Afastamento do Ministério Sagrado.
  • Dia 22 de março de 2010: Após a Repreensão Canônica foi imposta a Suspensão Total das Ordens Sagradas, conforme o cân. 1333 § 1;
  • Monsenhor Luiz Marques Barbosa encontra-se em tempo hábil para elaboração de sua ampla defesa.

  1. Com relação ao Monsenhor Raimundo Gomes Nascimento:

  • Dia 13 de março de 2010: Abertura de Investigação Prévia do Processo Administrativo Penal, de Nº 01/2010;
  • Dia 15 de março de 2010: Nomeação dos Rev.mos Padres Daniel do Nascimento Santos e Menete Severiano de Melo Júnior como instrutores e investigadores canônicos;
  • Dia 17 de março de 2010: Notificação da Citação ao referido padre e Afastamento do Ministério Sagrado.
  • Monsenhor Raimundo Gomes Nascimento encontra-se em tempo hábil para elaboração de sua ampla defesa.

  1. Com relação ao Pe. Edilson Duarte:

  • Dia 13 de março de 2010: Abertura de Investigação Prévia do Processo Administrativo Penal, de Nº 02/2010;
  • Dia 15 de março de 2010: Nomeação dos Rev.mos Padres Daniel do Nascimento Santos e Menete Severiano de Melo Júnior como instrutores e investigadores canônicos;
  • Dia 17 de março de 2010: Notificação da Citação ao referido padre e Afastamento do Ministério Sagrado.
  • Dia 31 de março de 2010: Notificação da Repreensão Canônica Pública por ter o referido padre pronunciado declarações inverídicas e infamantes contra o Bispo Diocesano, os Padres e Fiéis, veiculadas em áudio, por meio de órgão de imprensa alagoana, no dia 29 de março de 2010.
  • Pe. Edilson Duarte encontra-se em tempo hábil para elaboração de sua ampla defesa.

  1. Com relação ao Pe. Enaldo da Mota, informamos:

  • No dia 16 de março de 2010, em virtude de rumores que desabonavam a conduta moral do padre, surgidos na cidade de Arapiraca, o Bispo Diocesano o afastou como medida prudencial do Ministério Sagrado e de qualquer outro Ofício ou Encargo Eclesiástico, impondo-lhe residir numa Comunidade Terapêutica.
  • Dia 24 de março de 2010: Após reportagem veiculada pelo programa televiso “Conexão Repórter”, da Emissora SBT, no dia 18 de março de 2010, contendo acusações, supostamente envolvendo o referido padre em atos (ainda não provados) de abuso ou constrangimento sexual contra terceiros, alguns dos quais, possivelmente, menores de idade, o Bispo Diocesano, além do Afastamento do Ministério Sagrado, determinou Abertura do Processo Administrativo Penal em desfavor do Pe. Enaldo da Mota.

  1. Reiteramos o nosso irrestrito compromisso em contribuir eficazmente e favorecer o inquérito policial, instaurado para averiguar a veracidade das denúncias formuladas pelas supostas vítimas, ao tempo em que nos colocamos a total dispor das Autoridades de polícia e da justiça para tudo o que se fizer necessário.

Diante dos escândalos que ferem e desagregam a Grei do Senhor, confiamos na Divina Misericórdia, que nos guie no caminho da penitência e oração e nos conceda o dom da purificação e da conversão, condições indispensáveis para continuar nossa caminhada de Fidelidade a Jesus Ressuscitado.

Dom Valério Breda

Bispo Diocesano de Penedo

Penedo, 06 de abril de 2010

            Uma nota ligeira, mas que eu não posso deixar de fazer: fui informado de que a cantora Elba Ramalho – que anunciou participação na Marcha pela Vida,  em Brasília – está sendo pressionada por abortistas a não comparecer ao evento. A equipe de produção de Elba, cujo show encerrará a manifestação, tem recebido inúmeras cartas de protesto de entidades pró-aborto por sua participação na Marcha, numa clara tentativa de amedrontar a cantora paraibana. A Marcha ocorrerá no próximo domingo (30).

             E onde está a nossa parte nisso tudo? Façamos o seguinte: vamos enviar mensagens de apoio à atitude da Elba de participar da luta pró-vida. Ela tem que saber que estamos contentes com sua participação. Não podemos nos deixar abater, muito menos vencer, por essas ongs abortistas.

             O e-mail do produtor dela é: alexandre@acaua.net ou camila@acaua.net

          Recebi por e-mail e estou repassando:

Nota do Movimento Comunhão e Libertação a respeito da Encíclica Caritas in Veritate

             Somos gratos ao Santo Padre que na sua encíclica social também propôs a originalidade da fé e a contribuição que o cristianismo pode dar à conversão social e ao desenvolvimento.

            Parece-nos decisivo que em uma encíclica dedicada ao fazer do homem, o Papa, com grande realismo, chame a atenção para uma evidência elementar, que se for negada leva qualquer tentativa do homem a ser injusta até a violência: “O homem moderno está erroneamente convencido de ser o autor de si mesmo, da sua vida e da sociedade. É esta presunção que descende do pecado das origens. A sabedoria da Igreja sempre propôs ter presente o pecado original, mesmo na interpretação dos fatos sociais e na construção da sociedade”. De fato, até a recente experiência ensina que a pretensão de auto-suficiência e de “eliminar o mal presente na história somente com a própria ação, levou o homem a fazer coincidir a felicidade e a salvação com formas imanentes de bem-estar e de ações sociais”.

            Pelo contrário, a verdade de nós mesmos é, antes de tudo, “dada”: “A verdade não é produzida por nós, mas sempre encontrada, ou melhor, recebida”. Por isso o Papa afirma que “a caridade na verdade é a principal força propulsora para o verdadeiro desenvolvimento de cada pessoa e da humanidade. Em Cristo, a caridade na verdade se torna o Rosto da sua Pessoa”.

              Bento XVI nos chama ao fato – sempre mais esquecido, como atualidade nos testemunha – que “um cristianismo de caridade sem verdade pode facilmente ser torçado por uma reserva de bons sentimentos, úteis para a convivência social, mas marginais. Deste modo, não haveria mais um lugar exato e verdadeiro para Deus no mundo”.

            A Caritas in veritate sublinha que a Igreja “não tem soluções técnicas para oferecer e não pretende se intrometer na política”, mas tem uma missão a cumprir: anunciar Cristo como “o primeiro e principal fator de desenvolvimento”.

            Neste caminho de testemunhos nos sentimos desafiados a verificar – dentro dos acontecimentos da vida – o alcance da fé em Cristo, como Aquele que nos coloca em condições justas para enfrentar os milhares de problemas econômicos, financeiros, sociais e políticos que a encíclica enumera.

 Assessoria de Imprensa de CL

Milão, 8 de julho de 2009