Quem acha que o clima de ataques e acusações à Igreja arrefeceu um pouco nos últimos dias está redondamente enganado. A Igreja continua pagando o preço da má-fama e da imoralidade de ALGUNS clérigos. Por conta disso, abundam ofensas graves à Fé Católica, sátiras das mais diversas, e matérias completamente tendenciosas [e injustas para com a esmagadora maioria dos sacerdotes católicos – que vivem fielmente o seu celibato].

A última destas reportagens, no estilo “Roberto Cabrini”, foi feita pela revista italiana Panorama [vide capa abaixo].



A respeito desta matéria na Panorama, diz o site da Revista Veja diz:

Baseada em um mês de investigação com câmeras escondidas, uma longa reportagem expõe três religiosos sob o título “As Noitadas dos Padres Gays”. Há fotos dos padres em clubes e a capa da revista mostra um homem de batina, segurando um rosário, com as unhas pintadas de rosa.

Embora eu tenha achado na internet o site da citada revista, bem como um blog conexo, acho desnecessário reproduzir aqui o que está disponível lá. As cenas de vídeo, bem como as fotografias que foram tiradas, são bastante fortes. Realmente chocantes. [Dói no coração ver o padre que momentos antes compartilhara o leito com outro homem paramentar-se logo em seguida para celebrar o Santo Sacrifício da Missa…]

“E por que choca?” – perguntei-me hoje. Por causa da incoerência.

A incoerência – ou vida dupla, ou falsidade, como queiram chamar – realmente nos choca. Sobretudo a nós, cristãos, dos quais – como ensinaram os Santos Padres – se espera unidade de vida. Espera-se que as nossas palavras correspondam às nossas obras, e que as nossas obras manifestem aquilo que anunciamos. Nada menos que isso. E aí está a grande luta da vida cristã: uma luta por coerência.

“Mas uma sociedade que faz apologia do sexo livre e do homossexualismo pode exigir coerência, fidelidade ou retidão de quem quer que seja?” – perguntei-me em seguida. “Sim, pode” – respondi para mim mesmo. A sociedade – mesmo estando afundada em pecado e sendo amante da luxúria – ainda se choca com esses casos de infidelidade sacerdotal. Só agora me dou conta de que isso é bom. É ótimo, na verdade. É prova de que a Moral realmente transcende o tempo e as culturas, e supera a letra da Lei. É prova de que o homem tem gravado dentro de si as leis eternas e imutáveis que devem pautar, reger, a conduta humana. O clamor por coerência aponta para um mínimo de bom senso moral.

Frise-se (i): a revista Panorama, na realidade, em nenhum momento quis incentivar, muito menos exigir, a fidelidade ao celibato. Na visão dela, o ideal é que a Igreja possa “acolher” esses padres gays de modo a permitir que eles assumam sua “opção” sexual e, assim, oficializar a sua vida dupla. A proposta dela [inaceitável, é claro] é a de que homossexuais possam ser admitidos ao sacerdócio. Como para a Igreja essa argumentação “não cola”, eles acabam “chutando o pau da barraca” e lançando mão de ofensas gratuitas e injustas.

Os inimigos da Igreja não são bobos: ultrajam-na publicamente para pô-La em descrédito perante todos, para enfraquecê-La, para desmerecer a validade de Seu posicionamento em matéria de Moral. Embalde tentam calar-Lhe a voz. Não sabem eles que a voz que lhes oprime a consciência – e os leva, muitas vezes, a querer fugir de si mesmos – é a do próprio Deus. Não sabem eles que, ainda que a voz cale, a Palavra não passa… Não sabem eles que a consciência (aquele “morcego” de que falara Augusto dos Anjos) habita os nichos silenciosos do coração, onde ressoa só – e somente só – a Voz do Deus Altíssimo.

Frise-se (ii): de muito mau gosto, e profundamente ofensiva à piedade católica, é a capa da revista. O uso que se deu ao Rosário da Virgem Maria, colocado-o entre mãos másculas com unhas pintadas de rosa, fere o sentimento religioso dos católicos em todo o mundo. Retratação já!

E Deus segue tirando dos males que advêm à Sua Igreja os bens de que necessita o homem. Assim, dos ultrajes que a Esposa de Cristo tem sofrido, Deus sabe tirar os últimos resquícios de moral que existem no coração enlameado desta “geração má e adúltera” [Mt 12,39].

              I – Itália e Crucifixos

 

                Uma notícia extraordinária publicada no Fratres in Unum!

 

Itália: “Esta é a resposta ao Juiz turco de Estrasburgo!”

 

             (Kreuz.net) “Oh, bella Italia! A Itália mostra aos imbecis europeus com quantos paus se faz uma canoa” – esclareceu o BLOG ‘Fakten Fiktionen’ na quinta-feira:

              “Esta é a resposta ao Juiz turco de Estrasburgo!”.

               O Blog narra os fatos: “O prefeito de San Remo, Maurizio Zoccarato, está colocando uma cruz de dois metros no prédio da prefeitura!” A cidade de San Remo encontra-se no extremo noroeste da Itália. Ao mesmo tempo Zoccarato exigiu que todos os diretores de escolas afixem cruzes nas salas de aula.

              Segundo o blog ‘Fakten Fiktionen’, em toda a Itália inicia-se uma competição para mostrar isso aos juízes de Estrasburgo”. Na cidade de Busto Arsizio, perto de Milão, a administração municipal hasteou as bandeiras da União Européia em frente aos prédios oficiais a meio mastro.

              Um enorme crucifixo está resplandecendo há pouco tempo diante da façada do Teatro Bellini de Catania, na Cicília. Inúmeras comunidades italianas encomendaram novas cruzes para as suas escolas. A cidade Sassuolo na província de Modena no norte da Itália encomendou cinqüenta novos crucifixos. Eles deverão ser pendurados em todas as salas de aula em que ainda não houver algum.

             O Ministro da Defesa Ignazio La Russa abordou o tema da defesa nacional espiritual em uma discussão de TV: “Todas as cruzes devem permanecer penduradas, e os opositores da cruz que morram, juntamente com essas instituições aparentemente internacionais!”

               A comunidade Montegrotto Terme com 10.000 habitantes – onze quilômetros a sudoeste de Pádua – anuncia em placas de néon: “Noi non lo togliamo” – Não vamos ceder.

                O prefeito da cidade de Treviso no noroeste da Itália resumiu a situação muito bem: “Encontramo-nos no reino da demência, essa é uma decisão, que clama por vingança. O tribunal deve processar a si mesmo pelo crime que cometeu!”

               O prefeito de Assis sugeriu que além dos crucifixos fossem colocados também presépios nas salas de aula. O prefeito da cidade de Trieste esclareceu que tudo permaneceria do jeito que está. A Câmara de Comércio romana pediu que as lojas pendurassem crucifixos.

               Na comunidade Abano Terme – onde mora a ateísta militante finlandesa que reclamou do crucifixo – haverá protestos amanhã em frente das escolas a favor da Cruz de Cristo.

               O prefeito de Galzignano Terme na província de Pádua, Riccardo Roman, ordenou colocação imediata de cruzes em todos os edifícios públicos – não somente escolas, mas também na Prefeitura e museus.

               Dentro de duas semanas a polícia irá conferir se a ordem foi obedecida, caso contrário haverá uma multa de 500 Euros.

              O autor de ‘Fakten Fiktionen’ está maravilhado: “Bravo! Vou descansar alguns dias lá no ano que vem! Deve valer à pena!” O Prefeito Maurizio Bizzarri da comunidade de Scarlino na Toscana do sul impôs uma multa de 500 Euros para aqueles que retirarem uma cruz dos prédios públicos. Na cidade Trapani no extremo oeste da Cecília o Presidente e o assessor do governo da província encomendaram 72 cruzes com recursos próprios. Na cidade de Neapel apareceu uma pixação que dizia: “Se arrancar a cruz, eu arranco a tua mão fora!”

            ‘Fakten Fiktionen’ se dá por vencido: “Lamento, preciso parar, mas parece que não existe nenhuma cidade sem resistência.”

 

               II – Anglicanorum Coetibus

 

             A Constituição Apostólica que trata das normas disciplinares para o retorno dos anglicanos ao seio da Santa Mãe Igreja saiu faz alguns dias. Eu, porém, só a vi hoje. Por enquanto o documento está disponível em apenas dois idiomas: inglês e italiano. Se o meu dia tivesse 25 horas iria gastar esta hora adicional traduzindo o texto do italiano para o português [já que, de inglês, no máximo consigo dizer: “the book is on the table”]. Como não tenho um dia tão longo, resumo-me a fazer alguns ligeiros comentários:

 

  • O documento é breve – conta com apenas 13 parágrafos. Isso é bom porque estimula a leitura.
  • É contundente – ao mencionar, por exemplo, que “a única Igreja de Cristo é aquela que professamos no símbolo apostólico como sendo Una, Santa, Católica e Apostólica”. Lá está dito ainda que “O Catecismo da Igreja Católica é a expressão autêntica da fé católica professada pelos membros do Ordinariato”.
  • É bastante “operacional” – a constituição é uma espécie de definição prática de como as coisas funcionarão ora em diante.

              Após uma breve introdução – na qual se fala do papel do sucessor de Pedro, das feridas que a desunião causa ao Corpo Místico de Cristo [a Igreja], e do Espírito Santo como “princípio de unidade” – o documento traz aquilo que parece ser o cerne da declaração da Santa Sé: a apresentação da estrutura e regulamentação canônica do Ordinariato Pessoal [forma em que os anglicanos serão incorporados à Igreja].

               Foi publicado ainda, pela Congregação Para a Doutrina da Fé, um conjunto de normas complementares a Constituição Apostólica Anglicanorum Coetibus. Vale a pena dar uma lida.

 

 

I

            Sílvio Berlusconi tenta virar o jogo. Deu uma de cordeirinho… É isso que, em outras palavras, noticiou o El País. Segundo o jornal espanhol, o chefe de governo da Itália afirmou ser vítima da imprensa “comunista e católico-comunista”. Entendi a quem ele se referiu quando usou a expressão “comunista”. Porém, provavelmente devido à minha limitação intelectual, não consegui compreender o que ele quis dizer com “católico-comunista”. Gostaria de registrar, ou melhor, de reforçar que a espécie “católico-comunista” não consta como existente em parte alguma deste universo dodecaédrico. Nunca existiu, não existe e jamais existirá. Por quê? Porque estas duas características são como água e óleo: imiscíveis entre si! Não pode haver comunhão entre Cristo e Belial, entre a luz e as trevas. Para ser bonzinho, ouso dizer que quem mais se aproxima de um ser “católico-comunista” são os adeptos da teologia da libertinagem. Eles insistem em tentar servir a Marx e a Javé ao mesmo tempo. Tadinhos. Quando entenderão que as opções são excludentes (i.e.: ou se é católico ou se é comunista)? Rezemos para que esta tentativa de produzir um híbrido (resultante do cruzamento de um católico com um comunista) não produza monstros em série…

 Em passant: Como não bastasse a cara-de-pau e a tosca construção da expressão “católico-comunista”, Berlusconi ainda nos brindou com uma demonstração ímpar de humildade. Disse ele: “os italianos querem ser como eu”. É mole?

 

II

Talvez seja um fake, mas – de qualquer forma – eu fiquei estarrecido com o comentário de uma sujeita – que atende pelo nome de Carla – em resposta a um post intitulado “Como fazer aborto?”. A fulana – que diz ser enfermeira e, depois, faz crer que é médica – dá uma descrição completa de quais remédios podem ser usados para a prática do abortamento e quais os efeitos que cada um deles causa no feto. E tudo isso com uma naturalidade digna de Alfred Hitchcock! Eis aqui um trecho macabro do comentário da Srtª. Carla (ipsis literis com grifos meus):

 

“RU-486 Que fuciona diretamente no feto, provocando um ataque cardiaco, A RU -486 é um fármaco que se utiliza, quase exclusivamente, para produzir o aborto de embriões de em até 7 meses de vida. O seu nome genérico é Mifepristona. (conhecido como mifepristone) É uma hormona sintética que bloqueia a progesterona, hormona esta que é indispensável ao prosseguimento da gravidez. O filho concebido não pode continuar o seu desenvolvimento normal porque a RU 486 impede a sua implantação no útero (nidação), ou provoca a sua expulsão do próprio útero, produzindo a sua morte. Esta injeção elimina o feto atraves de taquicardia e falta de oxigenio , causando a falencia total do feto”.

 

Deus nos defenda da maldição do aborto e nos preserve da total deturpação da consciência! Nossa Senhora Conceição Aparecida, padroeira do Brasil, Rogai por nós!

 

III

Ainda as mazelas resultantes da gripe H1N1: “Nem mesmo as autoridades poderão beijar o relicário com o sangue de S. Gennaro”. É o que divulgou o periódico italiano Corriere della Sera. Trata-se de uma antiga tradição que será *interrompida* por conta dessa maldita gripe (que a meu ver já virou um a febre). Gostei bastante da redação feita pelo Corriere acerca desta matéria: mostra bem a indignação das pessoas que, no próximo dia 19 de setembro, vão a Nápoles participar de uma festa de São Gennaro afetada pela gripe…

Façamos um breve passeio ao redor do mundo:

Itália:

            Segundo o jornal italiano Corriere dela Sera, o ministro da administração pública da Itália, Renato Brunetta, teve uma pequena (talvez média, ou talvez grande…), indisposição com a Conferência Episcopal Italiana. O caso é o seguinte: os bispos dizem que a pobreza na Itália aumentou, e que a crise econômica mundial não é justificativa suficiente para que “o custo das dificuldades do momento presente recaiam com maior força sobre a parte mais débil da população”. Brunetta diz: “la povertà in Italia è diminuita” (“a pobreza na Itália diminuiu”). O público diante do qual o ministro proferiu essa frase não apoiou o seu posicionamento e pôs-se a questioná-lo. Ao ver-se metido numa fria, o ministro perdeu a paciência e disse: “Rumoreggiate quanto volete, ma queste sono le statistiche” (“reclamem o quanto quiserem, mas estas são as estatísticas”). Pobre ministro, paupérrimo argumento…

 

Brasil:

            O professor Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort, publicou uma carta aberta ao presidente da República, Luís Ignorácio Lula da Silva. O mote da carta: o uso de células tronco embrionárias em pesquisas científicas. Duas coisas excelentes que constam na carta: primeiro, as advertências claras a respeito das penas em que incorrem os católicos que “promovem, aprovam ou permitem violar o direito à vida de embriões ou fetos”; e, depois, um excelente parecer jurídico-canônico que elucida muitas das conseqüências práticas decorrentes da aprovação da lei que permite o uso das células tronco embrionárias em pesquisas “científicas”. A carta encontra-se no site da Montfort.

 

Espanha:

             Em Pamplona, na Espanha, 10 mil pessoas participaram do 27º Dia da Família. A abertura do evento ocorreu da melhor forma possível: com uma Missa, celebrado pelo arcebispo de Pamplona e Tudela, D. Francisco Pérez. Na homilia, D. Pérez, fez um insight interessante: “a família é fundamental na sociedade, tanto como as células no corpo humano”, disse ele. O Prelado ainda advertiu que a parábola do Filho Pródigo mudou nos nossos dias, pois “agora muitos pais pródigos deixam a seus filhos”. É lamentável, mas é verdade!”.

 

Sri Lanka:

            Zenit divulgou: Grupos paramilitares com apoio do governo do Sri Lanka estão seqüestrando menores nos acampamentos de refugiados e na cidade de Vavuniya, no norte do Sri Lanka. Grupos paramilitares usam as crianças como soldados. O Conselho Nacional de Segurança da Onu já está sabendo. Vamos ver se Obama, após analisar a relação custo-benefício de socorrer o Sri Lanka, vai permitir que a Onu faça alguma coisa… Para mais informações, acesse: http://www.child-soldiers.org/home

 

Irlanda:

             D. Keith Michael Patrick O’Brien, cardeal-arcebispo de Saint Andrews e Edimburgo, na Escócia, está em Derry, Irlanda, para participar das celebrações comemorativas do centenário da Igreja de São Columbano, co-padroeiro do país, missionário e fundador de mosteiros naquela região. Hoje (11), o cardeal celebra a Missa do Centenário e, logo em seguida, para recordar o evento (a ereção da Igreja de São Columbano) será plantado um carvalho, no cemitério de Long Tower. As informações são deste site.

 

 

Croácia:

            O presidente do Conselho das Conferências Episcopais da Europa fez algumas declarações que, eu diria, são meio perigosas… D. Peter Erdõ afirmou que “qualquer tentativa de separar a missão pastoral ou evangelizadora das questões sociais equivale a um sério erro e levaria a crer que a justiça social nada teria a ver com a fé”. Essa declaração, se não é TL, é pelo menos exagerada. Se o viés social não é a razão de ser da Igreja por que, então, seria um “sério erro” deixar que os leigos cuidem da política ao passo que a Igreja cuida das almas? (lembrando que: se a igreja consegue formar mais santos, invariavelmente, alguns deles enveredarão pela vertente política e serão importantes sinais de santidade naquele contexto). O cardeal Erdõ disse ainda que “justiça e a paz pertencem, intrinsecamente, à missão da Igreja”. Isso sendo mal-interpretado gera um problema… (leia mais sobre isso no site da Agência Ecclesia)