Eu vi – com praticamente um mês de atraso… 🙂 -, através do perfil da Jornada Mundial da Juventude – 2011 no Facebook, o lançamento mundial do vídeo “A história das JMJ”. O vídeo, narrado pelo Cardeal  Stanislaw Rylko, é muito legal. Assistam!

Anúncios

Vi no Facebook do Movimento Monarquia este vídeo espetacular do corajoso deputado Paes de Lira, do PTC, mostrando que não apóia a comunista-oportunista-abortista Dilma Hussein. Vejam:

A comunidade da Jornada Mundial da Juventude [2011] no Facebook teve a brilhante ideia de, no aniversário do Santo Padre [16], homenageá-lo com esta imagem  – construída a partir das fotos que membros da comunidade enviaram [clique na imagem para ampliá-la]:

Espetáculo de Criatividade!

              I – Papa, Facebook, Conselhos aos Jovens

 

              Há uma comunidade no Facebook criada com o intuito de congregar todos quantos desejam se informar e se preparar para a próxima Jornada Mundial da Juventude, que ocorrerá em Madrid o ano que vem. Nesta comunidade, encontram-se postados 10 conselhos que o Santo Padre, em abril de 2006, deu aos jovens. Penso que seja bom e útil revê-los. São eles:

 

1)       Conversar com Deus

2)       Contar-lhe as penas e alegrias

3)       Não desconfiar de Cristo

4)       Estar alegres: querer ser santos

5)       Deus: tema de conversa com os amigos

6)       No Domingo, ir à Missa

7)       Demonstrar que Deus não é triste

8)       Conhecer a Fé

9)       Ajudar: ser útil

10)   Ler a Bíblia

 

             Aconselho veementemente a todos que me estiverem lendo que vão á página do Facebook e leiam os breves comentários feitos pelo Papa ao dar cada conselho. O Santo Padre, naquela ocasião, concluiu seu pronunciamento aos jovens com estas palavras:

 

“Construir a vida sobre Cristo, acolhendo com alegria a palavra e pondo em prática a doutrina: eis aqui, jovens do terceiro milênio, o que deve ser o vosso programa! É urgente que surja uma nova geração de apóstolos enraizados na palavra de Cristo, capazes de responder aos desafios do nosso tempo e dispostos a difundir o Evangelho por toda a parte. Isto é o que o Senhor vos pede, a isto vos convida a Igreja, isto é o que o mundo – ainda que não saiba – espera de vós! E se Jesus vos chama, não tenhais medo de responder-lhe com generosidade, especialmente quando vos propõe segui-lo na vida consagrada ou na vida sacerdotal. Não tenhais medo; confiai n’Ele e não ficareis decepcionados”.

BENTO XVI

9 de Abril de 2006

 

 

              II – Assembléia Pastoral Arquidiocesana de Olinda e Recife

 

             Como a maioria dos católicos da Arquidiocese de Olinda e Recife já deve saber, está acontecendo – em atenção à convocação feita por D. Fernando Saburido – a Assembléia Pastoral Arquidiocesana. No site da Arquidiocese, encontrei uma matéria que trazia estes comentários a respeito da Assembléia:

 

“Padres, diáconos, religiosos e leigos esperam que esta seja o inicio de uma renovação na igreja particular de Olinda e Recife”.

“Para o Arcebispo, Dom Antônio Fernando Saburido, a descentralização das atividades arquidiocesanas, principal objetivo deste evento, refletirá em uma reestruturação eclesial e pastoral dando um novo ânimo para todos”.

             

               Eu acho realmente prejudicial esta linguagem que vem sendo empregada para se referir a tudo aquilo que diz respeito à Arquidiocese de Olinda e Recife. Tem-se falado sempre em “renovação”, “novo ânimo”, “reestruturação”, etc. Vejo nisso uma crítica velada [ou expressa?] à administração de D. José Cardoso Sobrinho. É como se a era de D. José fosse “velha, desanimada e desestruturada” [o que implica numa “necessidade de desfazer” tudo o que D. José fez]. Por causa desta terminologia infeliz as pessoas são levadas a crer que o arcebispo emérito, na época de sua gestão, “sufocou” a Arquidiocese – que agora “respira aliviada” sob o cajado de S. Excª. D. Fernando Saburido. Isso é uma GRANDE injustiça. Pronto. Disse.

              Antes que eu esqueça: o encerramento da Assembléia ocorrerá com uma celebração ecumênica…

 

              III – Anglicanos: conversão massiva e maciça

 

               Vejam que trecho maravilhoso de uma reportagem publicada por Zenit [grifos meus]:

A comunidade de anglicanos Foward in Faith, que tem sua sede principal na Austrália, poderia ser o primeiro caso de adesão coletiva à plena comunhão com a Igreja Católica depois da publicação da constituição Anglicanorum Coetibus, no último dia 4 de novembro.

Assim deu a conhecer o bispo anglicano David Robarts OAM, em declarações ao jornal australiano The Daily Telegraph, publicadas na terça-feira.

[…] Durante uma reunião realizada no último final de semana, cerca de 200 membros votaram unanimemente por voltar à plena e visível comunhão com a Igreja Católica.

 

             Quem sabe “fazer ecumenismo” é o Papa. Isso é inegável.  Enquanto alguns sacerdotes, bispos e até conferências episcopais inteiras acham que ecumenismo é cada um “ficar no seu canto” [como se todos estivessem certos, i.e., com a Verdade], o Romano Pontífice atrai para Cristo os filhos dispersos da Santa Mãe Igreja. Viva! Um amigo me lembrava hoje um “ditado” do professor Felipe Aquino – referindo-se ao Papa Bento XVI: “Eu confio no meu Pastor Alemão!” Eu também, professor! 😉

 

               IV – Padre Paulo Ricardo e Quarta-Feira de Cinzas

 

              Ultimamente [reconheço!] tenho citado bastante o Padre Paulo Ricardo. É que – permitam-me dizer – dia após dia me convenço de que Pe. Paulo é uma das mentes mais brilhantes da Igreja no Brasil. Assim sendo, permitam-me – ainda que com um pouco de atraso – recomendar este brevíssimo vídeo com mais um de seus comentários. Desta feita, ele discorre sobre o sentido da Quarta-Feira de Cinzas. Muito legal, de verdade!

           

            I

 

           Querem matar Obama! Alguém lançou uma enquete no Facebook perguntando se o presidente dos EUA deveria ser morto. Antes que a voz do povo fosse a voz de Deus, retiraram do ar a enquete. Eu particularmente sou contrário a que matem Obama. Acho que ele deveria passar por um processo idêntico [ou talvez mais radical até] ao do protagonista do filme “O Curioso caso de Benjamim Button”: ele devia regredir na idade até atingir o ventre de sua querida mamãe. E lá, no ventre materno – tal como as crianças abortadas – ele deveria conhecer a dura realidade da morte quando [ainda] se é inocente… É caro leitor, talvez eu seja mais macabro que o sujeito que criou a pesquisa no Facebook…

              II

              Para os pedófilos, castração química já! A proposta está sendo estudada pelos ilustres senadores deste nosso Brasil Varonil. Porém, eu pergunto: isso não é meio estóico, não? E quanto aos instintos? Há como livrar-se deles? Se bem que – pelo Evangelho de domingo passado – “é melhor entrar no Reino do Céu sem um dos olhos do que – tendo ambos – arder no inferno”. Por analogia…

 

               III 

 

            O Percival Puggina escreveu um primoroso artigo descendo a lenha no envolvimento do Brasil com a questão Hondurenha. Vale a pena ler 😉

 

           

           

            “Levem ao mundo digital o testemunho de sua fé”. Este é o pedido do Santo Padre, o papa Bento XVI, por ocasião da 43ª Jornada Mundial das Comunicações, a ser celebrada no próximo dia 24 de Maio. Segundo a ACI, o Santo Padre, exortará os jovens com as seguintes palavras: “A vós, jovens, que quase espontaneamente vos sentis em sintonia com estes novos meios de comunicação, vos corresponde de maneira particular a tarefa de evangelizar este ‘continente digital’”, assegura. Com o passar da mensagem, o Papa destaca “o extraordinário potencial” que têm as novas tecnologias “quando se usam para favorecer a compreensão e a solidariedade humana”.

            Penso que uma solicitação como essa, sobretudo por partir do Vigário de Cristo, seja muito significativa para todos os blogueiros católicos. Obviamente, o Santo Padre se refere a todas as formas de evangelização digital (blog’s, sites, jornais eletrônicos, programas, etc.). Contudo, vou delimitar meus comentários a ‘realidade virtual’ chamada blog.

            Desde que surgiram, os blog’s (em geral) serviam para apresentar ao mundo as preferências e opiniões do blogueiro. Creio que uma boa definição de blog seria a de “um diário pessoal de domínio público”. Ali o blogueiro se expunha, colocava de maneira normalmente não muito sistemática, aquilo que “achava interessante”. Até então, não havia sequer a preocupação em escrever dentro das normas ortográficas: escrevia-se em internetês mesmo…

            É diante disso que eu enxergo uma verdadeira revolução (calma, eu não sou comunista!) perpetrada pelos blogs católicos. Hoje, por mais que num blog católico estejam presentes as “preferências e opiniões” de quem nele escreve (porque é ele quem seleciona o que vai postar e apresenta sua visão sobre aquele assunto), o pensamento da Igreja é o que prevalece; no fim das contas, quer-se lançar um olhar católico sobre a realidade do mundo; o blogueiro católico se apaga para dar [justíssimo] lugar à Doutrina da Igreja. Ele entende que, mais que expor o que eu penso, é preciso expor o que a Igreja pensa. Este passa a ser o critério.

            Ser um blogueiro católico é escrever e preparar-se para as rebordosas. Não se trata de conquistar um público-amigo. Importa, sim, a maior glória de Deus, exaltação da Santa Mãe Igreja, e a salvação das almas. Portanto, ibope para si não é, ou – pelo menos – não deve ser, a finalidade querida por alguém que se pretende um cavaleiro da Igreja nas terras hostis da internet. Muito provavelmente, os elogios serão poucos e as críticas muitíssimas. Bendito seja Deus se assim o for de fato! Ser um blogueiro católicos é, portanto, deparar-se com toda uma horda de inimigos da Igreja que, parafraseando a oração a São Miguel Arcanjo, andam pelos sites a fim de perder as almas… Mas, sob os auspícios da Santíssima Virgem, avante!

            No vaticano, as iniciativas de evangelização via internet também estão se multiplicando. Depois do canal do Papa no youtube, agora o Papa tem Facebook: veja aqui!