I.  ¿Papá dónde estás?

 

            Saiu no BBC Brasil: Bebê espanhol é registrado com duas mães biológicas. Da reportagem, destaco:

             Lluna foi registrada sem pai, mas com duas mães, depois que Veronica e Monica conseguiram convencer o Ministério da Saúde da Espanha de que tinham direito à reprodução e registro porque estão casadas”.

            (…)

            Um comitê de 27 especialistas em direito, psicologia, medicina, bioética e representantes de sociedades científicas selecionados pelo Ministério da Saúde, deu o parecer positivo para a gestação e o registro oficial de Lluna como filha de duas mães. 

            “É um precedente histórico. Foi reconhecida a equiparação de direitos e se abre uma grande possibilidade para que todas as mulheres lésbicas possam trocar seus óvulos de forma artificial”, completou Fernando Marina. 

            Segundo o comitê, o governo deve oferecer aos gays (que podem casar legalmente na Espanha) os mesmos direitos que os heterossexuais também em assuntos como a reprodução assistida.

            Se essa moda pega… Uma dúvida: domingo passado foi Dia dos pais; num caso desses, quem a menina Lhuna vai presentear?

 

 

 II. Hitler – o exorcizado

 

            “El Papa Pacelli exorcizó «varias veces» y a distancia a Adolf Hitler, por considerarlo una persona poseída; un endemoniado; un hombre tan diabólico en sus programas de dominio y de exterminio, hasta el punto de estar dominado por las fuerzas del Mal. Así lo declaró Sor Pascalina, secretaria particular del Pontífice”.

             Não, você não entendeu errado.  Pio XII realmente “exorcizou «várias vezes», à distância, Adolf Hittler – por considerá-lo uma pessoa possuída, um endemoninhado”. O Fratres in Unum foi quem deu a dica desta matéria. A reportagem completa pode ser lida (em espanhol) no Religion em Libertad. Bastante interessante!

 

III.  A Bagdad brasileira

 

            Ontem eu havia comentado rapidamente que o governo iraquiano  planeja proibir o fumo em todos os lugares públicos do país. Incrivelmente, hoje me depare com uma notícia semelhante – só que desta vez a proibição é no Brasil! O Globo publicou: Aprovada a lei que proíbe fumo em locais públicos fechados no estado do Rio. Não sei por que me surpreendo com esse tipo de notícia. Acaso não é a América Latina é um grande Iraque?

 

 IV.  São Josemaría, fundador do Opus Dei

 

             Um videozinho não faz mal a ninguém ;). Recentemente, foi erigida – no México – uma paróquia em honra de São Josemaría Escrivã de Balaguer. O site do Opus Dei traz um pequeno vídeo com trechos da cerimônia de dedicação da igreja em honra do santo espanhol. A celebração foi presidida por Sua Eminência Reverendíssima, o Cardeal Norberto Rivera. Vejam aqui.

Façamos um breve passeio ao redor do mundo:

Itália:

            Segundo o jornal italiano Corriere dela Sera, o ministro da administração pública da Itália, Renato Brunetta, teve uma pequena (talvez média, ou talvez grande…), indisposição com a Conferência Episcopal Italiana. O caso é o seguinte: os bispos dizem que a pobreza na Itália aumentou, e que a crise econômica mundial não é justificativa suficiente para que “o custo das dificuldades do momento presente recaiam com maior força sobre a parte mais débil da população”. Brunetta diz: “la povertà in Italia è diminuita” (“a pobreza na Itália diminuiu”). O público diante do qual o ministro proferiu essa frase não apoiou o seu posicionamento e pôs-se a questioná-lo. Ao ver-se metido numa fria, o ministro perdeu a paciência e disse: “Rumoreggiate quanto volete, ma queste sono le statistiche” (“reclamem o quanto quiserem, mas estas são as estatísticas”). Pobre ministro, paupérrimo argumento…

 

Brasil:

            O professor Orlando Fedeli, da Associação Cultural Montfort, publicou uma carta aberta ao presidente da República, Luís Ignorácio Lula da Silva. O mote da carta: o uso de células tronco embrionárias em pesquisas científicas. Duas coisas excelentes que constam na carta: primeiro, as advertências claras a respeito das penas em que incorrem os católicos que “promovem, aprovam ou permitem violar o direito à vida de embriões ou fetos”; e, depois, um excelente parecer jurídico-canônico que elucida muitas das conseqüências práticas decorrentes da aprovação da lei que permite o uso das células tronco embrionárias em pesquisas “científicas”. A carta encontra-se no site da Montfort.

 

Espanha:

             Em Pamplona, na Espanha, 10 mil pessoas participaram do 27º Dia da Família. A abertura do evento ocorreu da melhor forma possível: com uma Missa, celebrado pelo arcebispo de Pamplona e Tudela, D. Francisco Pérez. Na homilia, D. Pérez, fez um insight interessante: “a família é fundamental na sociedade, tanto como as células no corpo humano”, disse ele. O Prelado ainda advertiu que a parábola do Filho Pródigo mudou nos nossos dias, pois “agora muitos pais pródigos deixam a seus filhos”. É lamentável, mas é verdade!”.

 

Sri Lanka:

            Zenit divulgou: Grupos paramilitares com apoio do governo do Sri Lanka estão seqüestrando menores nos acampamentos de refugiados e na cidade de Vavuniya, no norte do Sri Lanka. Grupos paramilitares usam as crianças como soldados. O Conselho Nacional de Segurança da Onu já está sabendo. Vamos ver se Obama, após analisar a relação custo-benefício de socorrer o Sri Lanka, vai permitir que a Onu faça alguma coisa… Para mais informações, acesse: http://www.child-soldiers.org/home

 

Irlanda:

             D. Keith Michael Patrick O’Brien, cardeal-arcebispo de Saint Andrews e Edimburgo, na Escócia, está em Derry, Irlanda, para participar das celebrações comemorativas do centenário da Igreja de São Columbano, co-padroeiro do país, missionário e fundador de mosteiros naquela região. Hoje (11), o cardeal celebra a Missa do Centenário e, logo em seguida, para recordar o evento (a ereção da Igreja de São Columbano) será plantado um carvalho, no cemitério de Long Tower. As informações são deste site.

 

 

Croácia:

            O presidente do Conselho das Conferências Episcopais da Europa fez algumas declarações que, eu diria, são meio perigosas… D. Peter Erdõ afirmou que “qualquer tentativa de separar a missão pastoral ou evangelizadora das questões sociais equivale a um sério erro e levaria a crer que a justiça social nada teria a ver com a fé”. Essa declaração, se não é TL, é pelo menos exagerada. Se o viés social não é a razão de ser da Igreja por que, então, seria um “sério erro” deixar que os leigos cuidem da política ao passo que a Igreja cuida das almas? (lembrando que: se a igreja consegue formar mais santos, invariavelmente, alguns deles enveredarão pela vertente política e serão importantes sinais de santidade naquele contexto). O cardeal Erdõ disse ainda que “justiça e a paz pertencem, intrinsecamente, à missão da Igreja”. Isso sendo mal-interpretado gera um problema… (leia mais sobre isso no site da Agência Ecclesia)

Duas notícias publicas pela ACI que vale a pena ler:

Episcopado espanhol reafirma que “o aborto com pílula também é um crime”

MADRI, 14 Mai. 09 (ACI/Europa Press) .- A Secretaria Geral da Conferência Episcopal Espanhola (CEE) emitiu hoje um comunicado no qual afirma que “o aborto com pílula também é um crime”, em relação à decisão do Governo de que a pílula do dia depois seja acessível sem receita.

Do mesmo modo, decidiu publicar de novo quatro documentos sobre o tema realizados entre 1998 e 2001 diante das, conforme acrescentam, “surpreendentes medidas que permitem a venda de fármacos com possíveis efeitos adversos e eventuais seqüelas negativas para a saúde das mulheres ou meninas que as utilizem”.

Os documentos que mantêm sua atualidade e aos que se pode acessar na página Web da CEE em espanhol: http://www.conferenciaepiscopal.es/, são:”A pílula do dia seguinte, ameaça contra a vida” (2001), “Sobre a pílula do dia seguinte” (2000), “Com a Pílula também se manda” (1998) e “O aborto com pílula também é um crime” (1998).

Lei do aborto procuraria anistia para empresários da morte na Espanha

MADRI, 15 Mai. 09 (ACI) .- A Federação Espanhola de Associações Pró-vida rejeitou energicamente a liberalização do aborto no país e denunciou que a polêmica Lei do Aborto procuraria dar anistia aos empresários que lucraram por anos com esta prática.

“Denunciamos publicamente que esta lei não tem outro objeto que conseguir anistia com efeitos retroativos para os empresários do aborto que não só estão isentos de escrúpulos por arrancar os filhos das vísceras de seus, muitas vezes,  atormentadas mães, mas também além disso burlam a lei atual”, sustenta a Federação em uma nota de imprensa.

Do mesmo modo, recorda que “um delito não se converte em direito por afirmar que o é nem porque se adorne com eufemismos de liberdade e progresso. Já é suficiente com as vidas que se perderam, com as mulheres quebrantadas e as gerações mutiladas. O aborto é algo terrível e doloroso para todos e não podemos admiti-lo como algo inevitável e menos ainda falar dele como avanço nos direitos sociais”.

Para a Federação, a aprovação desta lei trará “mais gravidezes especialmente em jovens, mais morte e mais vistas interrompidas”.

“Queremos mostrar nossa mais profunda indignação quando se apela à liberdade da mulher e a sua saúde, para inventar um direito que é o de matar a um filho sem dar explicações se isto for feito em um prazo determinado. Um delito não se converte em direito por repeti-lo muitas vezes e adorná-lo com eufemismos de liberdade e progresso”, esclarece.

Finalmente, a Federação expressa sua confiança em que “sobressaia o sentido comum e o governo retifique e dê marcha atrás neste projeto retrógrado e desumano que só alegrará aos que lucram com a dor alheia e que suporá uma degradação e um abandono maior para a mulher, para os filhos e para toda a sociedade espanhola”.

 

Presidente da Pontifícia Academia para a Vida
Presidente da Pontifícia Academia para a Vida

            Depois de ter comentado de maneira infeliz o recente episódio do aborto de gêmeos em Recife (veja mais sobre isso aqui e aqui), D. Rino Fisichella – presidente da Pontifícia Academia para a Vida – parece ter revisto as suas posições no que diz respeito à defesa da vida humana. Que bom! Basta de atitudes e pronunciamentos que provocam o escândalo dos fiéis e a divisão no seio da Igreja!

            D. Fisichella, desta feita, assumiu com vigor a postura católica – que é radicalmente contrária ao aborto. Em uníssono com o Santo Padre e os bispos do mundo inteiro, proclamou: “Não se pode modificar a doutrina da Igreja sobre o aborto (…) Bispo e fiéis tem que se manifestar publicamente contra o aborto (…) A história pedirá contas à época atual pelo drama do aborto”. Reproduzo abaixo, na íntegra, a matéria com os comentários de D. Rino em defesa da Vida (a reportagem pode ser encontrada neste link do site El Mondo):

 

            ¿Deben asistir los obispos a la manifestación contra el aborto del próximo domingo? Mientras algunos prelados españoles deshojan la margarita, el presidente de la Pontificia Academia para la Vida del Vaticano, Rino Fisichella, lo tiene claro: “Los obispos y los fieles tienen que manifestarse públicamente contra el aborto”.

            Invitado a presentar la Cátedra de Bioética Jerome Lejeune, la máxima autoridad vaticana en cuestiones de bioética fue aún más allá y aseguró a EL MUNDO que “los obispos son los que tienen que combatir en primera persona la legislación abortista del Gobierno español. Ni la jerarquía ni los fieles pueden desentenderse nunca de ese problema. Al contrario, tienen que hacerse oír. Y, por supuesto, públicamente, porque el cristiano es siempre una persona pública”.

            A su juicio, se trata de “realizar signos concretos de defensa de la vida”, que es una de las prioridades de la Iglesia católica. Porque, “en este momento, la Iglesia es casi la única voz que defiende la vida y de ahí que muchas veces no sea comprendida de manera coherente”. Pero “la historia pedirá cuentas a la época actual por el drama del aborto”.

            Monseñor Fisichella sostiene que “es un delito no escuchar la voz de la Iglesia en una sociedad plural, laica y democrática como la española”. A su juicio, “hay que escuchar a la Iglesia, porque tiene el sentido de la vida más profundo, tiene dos mil años de Historia, de cultura, de vida y de progreso”.

            El prelado romano asegura que la doctrina de la Iglesia sobre el aborto “no se puede modificar”. Y tampoco sobre la excomunión, dado que “quien procura un aborto directo, en ese mismo instante queda excomulgado latae sententiae”.

            Sostener esta doctrina no significa para Fisichella pecar de inmisericorde. Al contrario, “la misericordia es la ley de la Iglesia”. El presidente de la Pontificia Academia para la Vida también tiene clara la polémica cuestión del momento de la aparición de vida humana en el feto: “El individuo humano empieza en la concepción”.