Li no Religion em Libertad uma notícia que para mim demonstra com muita clareza o “tipo” de perseguição que se está fazendo aos cristãos em todo o mundo. Não se trata mais de uma proibição do “culto” cristão [como fora nos primeiros séculos], mas sim uma proibição da “cultura” cristã. A perseguição aos símbolos religiosos dos cristãos tem sido advogada por inimigos da Igreja em diversos países sob os mais diferentes motivos.

Na Catalúnia, o Partido Socialista Operário Espanhol [obviamente tinha que ser eles, os malditos comunistas], tentou-se utilizar da seguinte tática: pensaram em proibir o uso da burka por parte das muçulmanas para – alegando tratamento “igualitário” – ter o “direito” de proibir os símbolos cristãos também. Nada mais cretino. Pensaram que tolhendo o direito do Islã estariam “aptos” em tolher a Igreja e a própria sociedade católica. A título de curiosidade, o parlamento francês seguiu um caminho diferente: primeiro proibiu os símbolos religiosos [notadamente a cruz dos cristãos] nos colégios e repartições públicas e só agora está tentando aprovar uma lei contra o uso público da burka.

Graças a Deus, até o presente momento, frente à resistência que o Partido Popular apresentou – recordando que “tanto Espanha como Catalúnia são zonas de tradição cristã” -, o governo não conseguiu levar adiante essa idéia. Rezemos para que não consiga jamais.

Anúncios

I – CEB’s e CNBB


[Trago aqui um trecho da vergonhosa mensagem que a CNBB divulgou acerca das CEB’s, por ocasião da 48ª Assembléia Geral dos Bispos. Estou publicando aqui apenas a introdução – para que o leitor não tenha náuseas lendo o resto do documento… Grifei as partes que mais me enojam].


MENSAGEM AO POVO DE DEUS SOBRE AS

COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE


48ª Assembléia Geral da CNB, Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

“As Comunidades Eclesiais de Base”, dizíamos em 1982, constituem “em nosso país, uma realidade que expressa um dos traços mais dinâmicos da vida da Igreja (…)” (Comunidades Eclesiais de Base na Igreja do Brasil, CNBB, doc. 25,1). Após a Conferência de Aparecida (2007) e o 12º Intereclesial (Porto Velho-2009), queremos oferecer a todos os nossos irmãos e irmãs uma mensagem de animação, embora breve, para a caminhada de nossas CEBs.

Queremos reafirmar que elas continuam sendo um “sinal da vitalidade da Igreja” (RM 51). Os discípulos e as discípulas de Cristo nelas se reúnem para uma atenta escuta da Palavra de Deus, para a busca de relações mais fraternas, para celebrar os mistérios cristãos em sua vida e para assumir o compromisso de transformação da sociedade. Além disso, como afirma Medellín, as comunidades de base são “o primeiro e fundamental núcleo eclesial (…), célula inicial da estrutura eclesial e foco de evangelização e, atualmente, fator primordial da promoção humana (…)” (Medellín 15).

Por isso, “Como pastores, atentos à vida da Igreja em nossa sociedade, queremos olhá-las com carinho, estar à sua escuta e tentar descobrir através de sua vida, tão intimamente ligada à história do povo no qual elas estão inseridas, o caminho que se abre diante delas para o futuro”. (CNBB 25,5)

Fonte: Adital [cuidado: este site reúne o maior número de hereges e comunistas que eu já vi. Recomendo rezar a São Miguel antes de clicar…]


II – Zapatero e o aborto

O Presidente da Espanha, Zapatero, quer resolver o problema financeiro das famílias espanholas. Mas, a seu modo… O Hazteoir está promovendo mais uma mobilização popular para protestar contra a proposta, feita pelo senhor José Luis Rodrigues Zapatero, de cortar o auxílio dado às mães solteiras e desempregadas. O problema não é simplesmente cortar um benefício assistencialista. O problema é fazer isso e, por outro lado, continuar, como bom comunista, sustentando e subvencionando sindicatos e partidos políticos que já há muito não mais exercem os seus papéis – porque servem somente à manutenção da ditadura. O problema, mais grave ainda, é o raciocínio esdrúxulo que está por trás de todo esse plano: i) as pessoas não têm emprego; ii) se as pessoas não têm emprego, não tem dinheiro; iii) se não têm dinheiro, não podem sustentar seus filhos; iv) se não podem sustentar os seus filhos, não merecem tê-los! Brilhante conclusão, D. Zapata!

[Resolvidos os problemas técnicos que me impediram de postar por exatamente uma semana, volto à luta! Continuaremos tentando plantar a cruz de Cristo neste solo pagão da internet ;)]

Em 1989, a cidade de Santiago de Compostela, na Espanha, foi eleita para sediar a II Jornada Mundial da Juventude. Mais de 20 anos depois, a Espanha prepara-se novamente para acolher os jovens do mundo inteiro no maior encontro de jovens católicos do mundo. A JMJ 2011, que desta feita ocorrerá em Madrid, reunirá jovens de todas as partes em redor do Santo Padre! Cristo se utilizará do sucessor de Pedro para, mais uma vez, <<fitar todos aqueles jovens e amá-los>> [Mc 10,21]!

Espero que o vídeo abaixo – com o testemunho de alguns dos que participaram da Jornada em Santiago de Compostela, em 1989 – anime os jovens leitores deste blog [e todos os outros a quem este anúncio possa chegar] a se empenharem, desde já, em angariar fundos para lançar-se nessa aventura: partir em direção à capital espanhola “apenas” para ouvir de perto a voz de Cristo – que nos fala pelo Papa. Deus nos abençoe e estimule!

p.s.: Para receber os newsletter da JMJ 2011, basta cadastrar-se no site oficial da Jornada [escolha o idioma no canto superior direito]. Abaixo, trago um outro vídeo apresentando a lógico de construção do logotipo da jornada. Achei legal 😉

I – D. Claúdio Hummes e o celibato

 

Sua Eminência, o cardeal brasileiro Claúdio Hummes, disse – durante um congresso teológico cujo tema era o mesmo do ano sacerdotal [“Fidelidade de Cristo, fidelidade do sacerdote”] – que “o celibato sacerdotal é um dom do Espírito Santo que pede ser compreendido e vivido com plenitude de sentido e alegria, na relação totalizante com o Senhor”. Segundo matéria veiculada na ACI o “Cardeal indicou que ‘esta relação única e privilegiada com Deus faz do sacerdote a testemunha autêntico de uma singular paternidade espiritual e o faz autenticamente fecundo’”.  Um bom pronunciamento, D. Cláudio!

 

II – Espanha, Escola e preservativos

 

Uma contundente intervenção foi feita pelo presidente do grupo espanhol Profissionais pela Ética, Ramón Novella, no sentido de denunciar uma campanha do governo da Catalunha, que pretende distribuir preservativos nas escolas a alunos de quaisquer idades. Novella disse, entre outras coisas:

– Que a campanha era “um novo meio para doutrinar os jovens e, no caso dos menores, quer suplantar o papel educativo fundamental da família, na mesma linha de outras iniciativas, como são a implantação da Educação para a Cidadania ou as medidas educativas previstas na nova Lei do aborto”

– Que todas as campanhas, programas e planos de “educação” sexual do Governo catalão só serviram para “promover a promiscuidade e a irresponsabilidade entre os adolescentes e jovens”, provocando um aumento das gravidezes, abortos e enfermidades de transmissão sexual, tal como reconhece o próprio Governo Local.

Um ótimo pronunciamento, Ramón!

 

 III – Mons. Scicluna e o tratamento dos casos de pederastia e pedofilia

 

A ACI já havia publicado, e também estava no twitter do papa, estes comentários, bastante interessantes, feitos por Mons.Charles J. Scicluna, promotor de justiça da Congregação para a Doutrina da Fé, fiscal do Tribunal da Santa Sé, a respeito da terrível questão dos sacerdotes acusados de pederastia, escândalos que saltam periodicamente às páginas dos meios de comunicação. Destaco:

 

Sobre as acusações dirigidas ao Sumo Pontífice imputando-lhe a responsabilidade por uma suposta política de acobertamento dos casos de pederastia:

 

Mons. Scicluna: É uma acusação falsa e uma calúnia. A propósito, permito-me assinalar alguns dados. Entre 1975 e 1985, não aparece que se tenha submetido à atenção de nossa congregação algum aviso de casos de pederastia por parte de clérigos. De todas as formas, após a publicação do Código de Direito Canônico de 1983 houve um período de incerteza acerca do elenco de delicta graviora reservados à competência deste dicastério. Só com o motu proprio de 2001, o delito de pederastia voltou a ser de nossa exclusiva competência. Desde aquele momento, o cardeal Ratzinger demonstrou sabedoria e firmeza na hora de tratar esses casos. Mais ainda. Deu prova de grande valor, enfrentando alguns casos muito difíceis e espinhosos, sine acceptione personarum. Portanto, acusar o pontífice de ocultação é, repito, falso e calunioso.

 

Sobre a condução de um processo civil contra sacerdotes que cometeram crime de pedofilia:

 

Mons. Scicluna: Em alguns países de cultura jurídica anglo-saxã, mas também na França, os bispos que sabem, fora do segredo sacramental da confissão, que seus sacerdotes cometeram delitos estão obrigados a denunciá-los às autoridades judiciais. Trata-se de um dever pesado, porque estes bispos estão obrigados a realizar um gesto como o de um pai que denuncia seu filho. Apesar de tudo, nossa indicação nestes casos é respeitar a lei.

              I – Feminismo, PNDH3 e aborto

 

              Agora que passou o dia de ontem [em que se celebrou o Dia Internacional da Mulher] posso dizer: o feminismo é mesmo uma desgraça. Ah, se todas as mulheres soubessem o quanto esta ideologia de cunho marxista as descaracterizou! Vejam o que encontrei neste site feminista:

Como sabem, o PNDH3 está sendo questionado em sua legitimidade por setores conservadores que discordam deste ou daquele ponto. Em três audiências nacionais, os movimentos sociais fecharam uma aliança em defesa integral do PNDH3. Essa é a orientação estratégica que estamos assumindo coletivamente com outros movimentos.

[…]

Mesmo que a Igreja Católica não concorde com a legalização do aborto, ou com a retirada dos símbolos religiosos de espaços públicos, nem concorde com sistema de adoção para casais do mesmo sexo, estas propostas foram aprovadas nas Conferências, sendo também legítimas.

             A luta delas agora é aberta, declarada, contra a Igreja, contra a moral, contra a ética, contra a democracia, contra as próprias mulheres.

 

               II – O Rei está fora!

 

              O Rei da Espanha bem que podia ter seguido o conselho que ele mesmo deu a Hugo Chávez: por que não calou, Majestade? Poderia ter se poupado da excomunhão se alegasse objeção de consciência e não ratificasse a maldita lei… Isto mesmo: O Rei da Espanha, Sua Majestade Juan Carlos de Bourbon, está excomungado. Ele sancionou uma nova lei que favorece a prática do aborto em terras espanholas. Logo, por <<cooperação material com o mal>>, o rei colocou a si mesmo fora da comunhão com a Santa Igreja. A excomunhão na qual incorreu o Rei é do tipo latie sententiae, isto é: não precisa ser decretada oficialmente pela autoridade competente. Ainda assim, para que servisse de exemplo, seria muitíssimo importante que a Conferência Episcopal Espanhola se pronunciasse manifestando publicamente o crime que Juan Carlos cometeu, e indicando as graves conseqüências de tal ato.

              Li no Deus lo vult!

 

Monsenhor Reig Pla, com coragem e heroísmo, confirmou a Doutrina eterna do Catecismo da Igreja Católica, [parágrafo] 2287: “Quem usa os poderes de que dispõe em condições que arrastem a fazer o mal torna-se culpável de escândalo e responsável pelo mal que, direta ou indiretamente, haja favorecido. ‘É impossível que não venham escândalos; no entanto, ai daqueles por quem eles vierem!’ (Lc 17, 1)”.

Isto é [também] o que SS João Paulo II confirmou em sua Carta Encíclica “Evangelium Vitae”, a respeito da cooperação e cumplicidade com o aborto: “A excomunhão afeta a todos os que cometem este delito conhecendo a pena, incluindo também aqueles cúmplices sem cuja cooperação o delito não se teria realizado”.

 

               III – Mais anglicanos retornam à plena e visível comunhão com Roma.

 

Los anglicanos tradicionalistas de EE.UU. piden su ingreso en la Iglesia Católica

 

Acogiéndose a las disposiciones del Papa en la constitución apostólica «Anglicanorum coetibus», los episcopalianos más próximos al catolicismo siguen así los pasos de los ingleses. 

Los anglicanos tradicionalistas de Estados Unidos han decidido formalmente ingresar en la Iglesia Católica, acogiéndose a las disposiciones de Benedicto XVI en la constitución apostólica Anglicanorum coetibus del 4 de noviembre de 2009, que establece unos ordinariatos personales para facilitar su regreso a Roma.

 Según un comunidado emitido este miércoles, los obispos de la Comunión Tradicional Anglicana en Estados Unidos, reunidos en Orlando (Florida), conjuntamente con su primado, y con el Reverendo Christopher Phillips, sacerdote ya católico del uso anglicano, han decidido solicitar formalmente a la Congregación para la Doctrina de la Fe que se les apliquen las disposiciones de dicha constitución apostólica.

 De esta forma, siguen el ejemplo de sus hermanos ingleses, que lo hicieron en noviembre. Continúa así un lento proceso que en los últimos años ha ido acercando a la Iglesia Católica a los anglicanos más descontentos con la deriva relativista y secularizante de su confesión religiosa.

 

               

 

              A cidade de Madrid conseguiu levar 1 mihão de pessoas às ruas em uma megamanifestação contra o aborto. Será que algum dia, aqui no Brasil, nós conseguiremos semelhante feito? Espero em Deus que sim!

             Fazia tempo que eu não ficava tão indignado. Mas hoje não deu para conter um misto de raiva e asco frente à uma invenção – descabida e de mau gosto – das Associações Espanholas de Defesa dos Direitos dos Homossexuais.

             Trata-se de um calendário com santos caracterizados como transexuais! Sim, caro leitor, é isso mesmo que você está lendo! A BBC Brasil publicou matéria a respeito, o El Mundo também abordou a questão. Fotos do calendário podem ser vistas neste link da UOL.

              O objetivo é, mais uma vez, destruir os valores religiosos inerentes àquela nação. Como se tem feito, sistematicamente, em todo o mundo [incluídas as terras de Seu Lula]. Os gayzistas espanhóis alegam que os feriados religiosos devem ser substituídos por eventos sociais já que o país é laico. Querem, por exemplo, trocar o Natal por um tal “Dia da Democracia”.

              Esse laicismo desenfreado – completamente sem sentido – está se tornando cada dia mais comum. Graças a Deus, o fundamento da argumentação laicista é suficientemente imbecil para ser combatido com uma única frase: o estado é laico, mas a nação não!

               Agora, pensem comigo: se nós, cristãos, fizéssemos um calendário ridicularizando os GLSTBXYZ-ETC-E-TAL (daqui a uns dias vai faltar letra no alfabeto para enumerar as modalidades de aberração que esse pessoal inventou) seríamos imediatamente taxados de preconceituosos, intolerantes, blá-blá-blá. Eles podem, nós não.  Ah, tenha santa paciência!

              Entretanto creio que o povo espanhol, mesmo sofrendo a pressão de um governo socialista, demonstrará que tem fibra, que tem valores, que tem fé [como, aliás, já o fez levando um milhão de pessoas às ruas para protestar contra a nefanda lei que visa ampliar os casos de “abortamento legal” naquele país), e há de rejeitar com veemência este ultrajante calendário, exigindo retratação por parte dos ofensores gayzistas.

              Que Nossa Senhora do Pilar, padroeira da Espanha, Se digne esmagar os Seus inimigos e pô-los a escabelo de seus pés! Que a ira dos Apóstolos recaia sobre todos os que buscam vilipendiar o patrimônio espiritual da Igreja! Que assim seja!