De fato, a primeira reação à verdade é o ódio. Toda vez que os cristãos cumprem sua missão de ser “fermento e sal” no mundo, enfrentam ataques e perseguições de toda sorte. Após a estrondosa manifestação pró-vida em Madrid – que contou com cerca de 1 milhão de pessoas – o que se viu na Argentina, durante o XXIV Encontro Nacional de Mulheres, foi uma verdadeira luta entre os filhos das trevas e os filhos da luz. Este encontro, feito para “reivindicar o gênero”, é organizado por entidades ligadas à promoção do aborto no mundo. Os cristãos de Argentina deram, mais uma vez, testemunho de cristianismo e de autêntica defesa da vida [eu já havia postado aqui um vídeo sobre este encontro na qual se via o bonito exemplo dado pelos jovens argentinos durante uma edição anterior deste encontro].  Vejam a matéria abaixo:

 

Espectacular contraste de manifestaciones en Argentina:

 los pro vida y los pro aborto

 

Mientras que los católicos se apostaban alrededor de las iglesias para evitar ataques a los templos, las manifestantes pro aborto provocaron altercados y se pasearon desnudas

Entre el 10 y el 12 de octubre se realizó en Tucumán –provincia de Argentina- el XXIV Encuentro nacional de Mujeres. El objetivo de esta reunión era según fuentes de la organización ‘reivindicar el género’, debatir sobre la violencia doméstica, la trata de blancas, la salud reproductiva, el derecho a abortar y expresar su preocupación por la violencia que se vive en la actualidad.

Los católicos de Tucumán alertados por lo sucedido en anteriores concentraciones se apostaron frente a las iglesias para proteger los templos de posibles ataques. Los creyentes permanecieron cogidos de la mano y con carteles que reivindicaban la vida del niño por nacer mientras oraban.

 Los católicos se situaron ordenadamente rodeados de unas vallas de protección y encabezados por los hombres que resguardaban a las mujeres y los niños. Este hecho enfureció a las manifestantes que arrojaron botellas, pintura, orina, pastillas y escupieron a los cristianos.

 La manifestación tenía entre uno de sus objetivos la de ser una contra réplica de la manifestación del 17-O que tuvo lugar en Madrid a favor de la vida y contra el aborto, de cuyo éxito se ha hecho eco la prensa internacional

 

               O blog Notícias Lepanto publicou e eu faço questão de replicar. Precisamos de mais jovens como estes: gente de fibra, de caráter, de fé. Os grifos à matéria foram feitos por mim. 

 

Jovens católicos argentinos, em defesa da Catedral, enfrentam

grupo de Feministas

 

             Na cidade de Neuquén, localizada ao norte da Patagônia, próxima ao Chile, houve de 16 a 18 de agosto p.p. um “Encuentro Nacional de Mujeres”, de tom feminista.

            No dia 17, as manifestantes mais radicais, muitas delas lésbicas, fizeram uma marcha pelo centro da cidade, que a certa altura passaria em frente à Catedral. Previamente um grupo grande de pessoas, em sua maioria jovens, se colocou no átrio da Catedral para defendê-la de possíveis atentados como os que já haviam ocorridos em manifestações análogas.

            Antes da chegada da marcha, o bispo local tentou dissuadir aos rapazes de permanecer ali, convidando-os a entrar na catedral, mas eles assim não fizeram. Quando a marcha chegou, com cantos e gritos blasfemos e soezes, que davam um tom de carnaval infernal, os rapazes começaram a rezar calmamente o Rosário em voz alta.

            As feministas, e também alguns homens, ao passar diante deles lançaram, aos jovens e à Igreja, as piores injúrias, provocando-os de todas as formas, inclusive cuspindo no rosto dos rapazes – como se vê no vídeo. Arrancaram deles uma grande faixa com as cores da bandeira argentina que os católicos portavam e a queimaram; praticaram ainda outras violências, mas os jovens ignoraram as provocações e continuaram rezando serenamente, o que os deu uma inquestionável superioridade, até que chegou a polícia e se interpôs entre os rapazes e as feministas, que acabaram retirando-se.

          Saiu na Folha esta notícia. Vamos aguardar para ver o que vem por aí…

 

            Cineasta Roland Joffé filma vida do fundador

da Opus Dei na Argentina

            O cineasta britânico Roland Joffé filma, na Argentina, “There Be Dragons”, obra a respeito da vida de Josemaría Escrivá de Balaguer, o sacerdote espanhol que fundou a Opus Dei, ligada à Igreja Católica, e foi canonizado em 2002. Escrivá será interpretado pelo britânico Charlie Cox, 26. O brasileiro Rodrigo Santoro também está no elenco.

            “Pensei que seria interessante contar uma história moderna a respeito de um homem que foi santificado, porque isso aconteceu há pouco tempo”, disse o cineasta em entrevista ao jornal argentino “El Clarín”. “O objetivo do filme não é falar da Opus Dei, mas sim questionar o que significar estar vivo. Fala também sobre emoções humanas, amor, ódio, desejo, adoração e experiência religiosa”, continuou.

            Entre atores e técnicos, 600 pessoas trabalham nas filmagens, que acontecem na praça Belgrano, na localidade de Luján, a cerca de 70 km a norte de Buenos Aires. Luján atrai centenas de milhares de peregrinos todos os anos para sua imponente basílica.

            No elenco estão ainda os americanos West Bentley e Geraldine Chaplin, a ucraniana Olga Kurylenko, o britânico Derek Jacobi e os espanhóis Ana Torrent e Jordi Mollá, entre outros.

            Do ponto de vista religioso, o cineasta conta com o apoio do padre americano John Wauck que mora na sede da Opus Dei em Roma e dá aulas de literatura e fé cristão na Pontifícia Universidade de Santa Cruz.

            Não é a primeira vez que Joffé escolhe a Argentina como cenário de seus filmes. Em 86, ele filmou nas Cataratas do Iguaçú e na selva das Missões “A Missão”, que tinha Robert de Niro e Jeremy Irons no elenco e que recebeu Oscar de melhor fotografia e a Palma de Ouro do Festival de Cannes