I – Sobre a Caminhada pela Vida, que ocorreu domingo p.p, na Avenida Boa Viagem:


As pessoas que estavam na praia paravam para olhar a caminhada. Dos prédios na beira-mar, alguns moradores se debruçavam das janelas para verem a multidão passar gritando “não” ao aborto. Muitas pessoas que simplesmente estavam por lá juntavam-se aos manifestantes, para também darem o seu “sim” à vida. E o evento atingiu o seu objetivo: fez com que fosse ouvida a nossa voz, a voz do povo brasileiro, que é visceralmente contra o assassinato de crianças no ventre de suas mães. Parabéns aos que dedicaram a sua manhã de domingo para participarem desta importante manifestação pública! Que a Virgem Santíssima os possa recompensar com generosidade.

Fonte: Deus lo vult!

É bom ressaltar que o senhor Arcebispo de Olinda e Recife, D. Fernando Saburido, afirmou em alto e bom tom que a Arquidiocese não tem candidatos próprios. A Igreja, segundo ele, não recomenda nenhum candidato em particular. O Arcebispo – como era de se esperar – orientou os católicos a votar em candidatos que sejam a favor da Vida [sincera e declaradamente, é claro]. Segundo alguns ouvintes da Rádio Olinda, D. Fernando já havia feito as mesmas declarações naquele canal de comunicação. Com tais afirmativas partindo do nosso Metropolita, fica evidente que a Comunidade Obra de Maria mentiu ao divulgar um cartaz entre os seus colaboradores em que se dizia que a Igreja havia “pensado, rezado e escolhido” determinados candidatos. Lamentável é ver a falta de humildade da mesma Comunidade que, embora ciente de seu erro, silenciou e não teve a ombridade de reconhecer a sua falha, de pedir desculpas e de retratar-se de alguma forma. A O.M. não respondeu aos e-mails de protesto que lhe foram enviados, não publicou nota de esclarecimento em jornal e, sinceramente, não me surpreenderá se no próximo jornal mensal da Comunidade não constar nem mesmo uma notinha de rodapé mixuruca a título de “errata”. É triste mas o orgulho, inevitavelmente, precede a ruína. Graças a Deus tivemos um Pastor para defender o nome da Igreja Particular de Olinda e Recife e a honra da Imaculada Esposa de Cristo :).

Não deixem de acessar o Deus lo vult! para ver algumas fotos da Caminhada pela Vida e ler a íntegra da matéria que Jorge escreveu.

En passant: O Diário de Pernambuco divulgou que havia 60.000 presentes na Caminhada. Segundo um amigo, o Jornal do Commércio [tradicionalmente inimigo da Igreja] afirmou que havia apenas 4.000 presentes [seguramente esses cálculos foram feitos com uma calculadora paraguaia, comprada a R$ 1,00]. Na matéria veiculada no site do JC [acesso público, i.e., para não assinantes] eles abstiveram de citar os números do evento. Tiveram que engolir goela abaixo a multidão de pró-vidas. A Igreja lhes mostrou uma força contra a qual não puderam resistir: a da Fé, a da Vida.

——————–

II – Notícia estarrecedora (I)

Projeto autoriza uso de órgãos de crianças anencéfalas em transplantes

Aguarda decisão da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) projeto da senadora Serys Slhessarenko (PT-MT) que permite o uso de órgãos de criança anencéfala em transplantes. A proposição está sendo relatada pelo senador Augusto Botelho (Sem partido-RR), que apresentou voto favorável à matéria.

A proposta (PLS 405/05) altera a lei que trata da remoção de órgão e tecidos do corpo humano com fins de tratamento médico (Lei 9.434/97) para permitir a remoção de tecidos, órgãos ou partes do corpo de criança anencéfala e seu uso em transplantes.

O relator observa que a atual legislação estabelece que a retirada de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para transplantes deve ser precedida do diagnóstico de morte encefálica. No entanto, essa exigência legal impede que o recém-nascido anencéfalo seja considerado um potencial doador, pois não haveria como diagnosticar morte encefálica na ausência de encéfalo.

Pela proposta, o procedimento de retirada dos órgãos da criança poderá ser efetivado a partir de diagnóstico de anencefalia feito por dois médicos não-participantes das equipes de remoção e transplante. O projeto também estabelece que a remoção dos tecidos só será permitida quando a manutenção das atividades cardiorrespiratórias da criança se der somente por meio artificial, ou quando comprovada a impossibilidade de manutenção da vida, respeitados os critérios clínicos e tecnológicos definidos por resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Em seu relatório, Augusto Botelho, que é médico, explica que a anencefalia é uma má-formação fetal que impossibilita a vida fora do útero. Normalmente o recém-nascido anencéfalo não sobrevive mais que algumas horas, diz o senador, podendo permanecer vivo, em raras ocasiões, por até três dias. A anencefalia caracteriza-se pela ausência dos hemisférios cerebrais e dos ossos da calota craniana, explica Botelho. Em muitos casos, a morte do anencéfalo ocorre durante a gravidez, acarretando aborto ou parto prematuro, destacou.

Recentemente, no entanto, a menina Marcela de Jesus Ferreira, nascida em Patrocínio Paulista (SP) e diagnosticada com anencefalia, viveu um ano e oito meses, falecendo em 2008. Na época, alguns médicos contestaram o diagnóstico.

Fonte: Senado

——————–

III – Notícia estarrecedora (II)

Dia pela Despenalização do Aborto na América Latina e Caribe

O dia 28 de setembro marca a luta pela descriminalização do aborto na América Latina e Caribe. A Coordenação Regional da “Campanha do 28 de setembro” lançou um manifesto em defesa do direito ao aborto legal e seguro.

“Chega de violações dos nossos direitos” é a chamada escolhida para a campanha deste ano, que está sendo puxada pela coordenação regional, com sede na Nicarágua, e apoiada pela Rede de Saúde das Mulheres Latino-americanas e do Caribe e pela Rede Feminista de Saúde.

No dia 15 de setembro, foi lançado o Manifesto de 2009, denominado “Luzes e sombras”. O manifesto faz um apanhado de avanços e retrocessos na garantia dos direitos das mulheres à interrupção voluntária da gravidez na América Latina e no Caribe. Declara também seu apoio aos esforços dos movimentos de mulheres no sentido de consolidar os avanços conquistados recentemente em cada país.

O manifesto afirma que milhões de mulheres continuam sofrendo lesões e traumas por conta da legislação proibitiva, que as coloca na posição de realizar abortos de maneira ilegal e insegura. Muitas outras são ainda criminalizadas e presas.

Fonte: Observatório de Gênero

Acabo de receber em minha casa uma carta remetida pela Comunidade Obra de Maria contendo propaganda eleitoreira de dois “irmãos cristãos, católicos praticantes” que são candidatos à Assembléia Legislativa e à Câmara Federal. São eles: Terezinha Nunes e Josenildo Sinésio, respectivamente. Além dos “santinhos” dos políticos nada santinhos veio um cartaz pedindo expressamente o voto em favor dessas duas figuras. Fiz questão de scannear o cartaz e postá-lo aqui. Vejam e leiam. Em seguida, farei os comentários que acho pertinentes:

A Obra de Maria mente descaradamente quando diz que “a Igreja [com “i” maiúsculo mesmo!], aliada a diversos movimentos, rezou, pensou e escolheu (!)” dois defensores da Doutrina Social da Igreja [que seriam Josenildo e Terezinha]. Mentira estrondosa! A Igreja não tem candidatos, a Arquidiocese de Olinda e Recife também não o tem! Será possível que mesmo quando uma coisa é repetida ad nauseam não entra na cabeça de algumas pessoas?

A Igreja não “rezou” para discernir que candidato apoiar coisíssima nenhuma. Tem-se coisas mais importantes pelo que rezar. Por que rezar pelas intenções de Gilberto se podemos rezar pelas do Santo Padre? Além disso, a Igreja  jamais “pensou” em dar apoio a qualquer candidato. A menos que “Igreja” no cartaz seja figura de linguagem para se referir à Obra de Maria…  E, por fim, a Igreja não fez “escolha” de nenhum candidato em detrimento de outro[s]. Desafio: quem achar a ata de eleição de Josenildo e Terezinha na chancelaria de qualquer diocese ou arquidiocese ganha um doce.

A Obra de Maria pode apoiar candidatos em seu próprio nome? Sim, por certo. Mas não têm o direito de usar o nome da Igreja para fazê-lo. Não pode porque a Igreja não autoriza que se faça. Além do que, é uma tremenda imprudência [para não dizer burrice] uma instituição qualquer dar apoio ostensivo a um candidato. Por quê? Porque se, depois de eleito, ele fizer alguma bobagem grande, serão automaticamente jogadas na lama a reputação dele e a de todos quantos mendigaram votos em seu favor. É uma questão de lógica.

Mas, não contente com a bobagem que disse logo na segunda e terceira linhas da propaganda, a Obra de Maria encerrou chamando os candidatos de “verdadeiros representantes da igreja” [agora com “i” minúsculo, mas nem por isso menos errado].

Bem, durante muito tempo acreditei que atitudes como essa eram fruto de ignorância ou até de ingenuidade. Cogitei a possibilidade de algumas pessoas não conhecerem a claríssima instrução da Igreja acerca do não-apoio a quem quer que seja que exerça atividade política-partidária. Hoje em dia não consigo mais vislumbrar essa interpretação excessivamente benedicente. É malícia mesmo. É jogo político sujo da pior espécie – porque finge estar do lado da Igreja, mas contraria despudoradamente a Sua Autoridade.

A respeito do “Fé e Compromisso” registre-se o seguinte: esse grupo surgiu aqui ainda na época em que nos pastoreava S. Excª Revma., D. José Cardoso Sobrinho. Eu, pessoalmente, nunca fui a nenhuma de suas reuniões, mas – pelas informações que recebi de integrantes – surgiu inicialmente com um bom propósito: o de reunir um grupo que pudesse discutir a relação entre fé e política e, na medida do possível, atuar para fazer conhecer a Doutrina Social da Igreja. Entretanto, com o passar do tempo, o Fé e Compromisso parece ter servido de degrau e de palanque para estes dois candidatos…

No caso do apoio ao Sr. Josenildo Sinésio, há um agravante: ele pertence ao Partido dos Trabalhadores – o qual, como é público e notório, é institucionalmente a favor da causa abortista. Registre-se, também, que eu solicitei há algum tempo uma entrevista junto à assessoria de imprensa deste candidato e não obtive sucesso. O e-mail não foi sequer respondido. Terá sido receio de perguntas capciosas que eu certamente faria?… Terá sido o medo de dar a cara à tapa aos católicos que acessam este blog?… Não. Deve ter sido tempo. É sempre a melhor desculpa. Só fico curioso porque não falta tempo para participar de tudo quanto é evento organizado pela Obra de Maria e posar de bom moço para a multidão de carismáticos que a Obra de Maria atrai… Uma outra coisa importante que eu não posso esquecer de falar é que, no ano passado, estive no Gabinete do Josenildo, na Câmara dos Vereadores, acompanhado da Drª Dolly Guimarães. Firmamos com ele o compromisso de estabelecer naquela Casa, formalmente, um Frente Parlamentar Pró-Vida. Entretanto, foi um outro vereador – o Aerto Luna (PRP) – que propôs a criação dessa Frente agora em agosto p.p. Terá sido medo de repreensão por parte das lideranças do PT?…  Nunca saberemos.

Há algum tempo, um amigo comentou essa coisa de “voto é coisa séria”. Voto sério para esse pessoal são “palavras ao vento, palavras apenas…”

O Eto, co-fundador da Canção Nova, deve ter caído de gaiato nessa história toda. Influenciado pela estreita relação entre as duas comunidades, e confiando na sensatez [inexistente] da Obra de Maria, é possível que ele nem tenha conhecimento da propaganda eleitoreira feito com o uso de sua imagem. Rezo para que assim o seja. Porque se ele sabia, a coisa é mais grave ainda: serão duas comunidades, com “alto poder de fogo” sobre os fiéis, insuflando neles uma propaganda que não se coaduna com a orientação da Igreja a este respeito.

Oxalá a Virgem Santíssima, ao contrário do que foi pedido na última linha do cartaz, nos defenda da grande burrada que é votar anestesiado por uma propaganda falaciosa. É pena que o site da Obra de Maria não tenha um e-mail para que os católicos enviem os seus protestos. Na aba “contatos”, todavia, há um formulário eletrônico que permite a comunicação com assessoria de comunicação da comunidade. Escrevam. Reclamem contra a insensatez [para não dizer má-fé…] da Obra de Maria.

Ah, e pelo amor de Deus não me venham com essa história de que a perseguição “confirma” a escolha dos dois fulanos. Depois que fazem a besteira, querem sair como mártires? Na-na-ni-na-não.

Onze de Julho de 2010. Foi o dia escolhido por Padre Nildo Leal de Sá para celebrar para os fiéis, pela última vez, a Santa Missa segundo a Forma Extraordinária do Rito Romano. Alegando “razões pessoais”, Pe. Nildo leu – ao fim da celebração – um comunicado no qual informava que não mais celebraria nenhum sacramento segundo as rubricas de 1962. Foi muito triste. Eu estava lá. Mulheres choravam desconsoladas, os homens – confusos – ficaram emudecidos por alguns instantes sem saber como reagir diante de uma notícia tão surpreendente. Os sinos repicavam à hora do Ângelus, mas o seu ressoar parecia mais triste. O côro cantava a Salve Regina pedindo à Boa Mãe que volvesse para nós o Seu olhar, terno e compassivo, neste momento em que não entendíamos porque Padre Nildo decidiu nos privar do Tesouro da Missa Tridentina. As palavras do Fratres in Unum começam a fazer sentido… Como também parecem fazer sentido as palavras do Salmo 42, rezado no início da Santa Missa:

Júdica me, Deus, et discérne causam meam de gente non sancta: ab hómine iníquo, et dolóso érue me.

Fazei-me justiça, ó Deus, e tomai a defesa da minha causa contra gente desapiedada; do homem iníquo e fraudaulento livrai-me, Senhor.


[O artigo abaixo é da lavra de D. Fernando Saburido, arcebispo de Olinda e Recife. Foi publicado no Jornal do Commércio, em sua edição de 18.04.2010. Tendo sido interpelado pela imprensa e pelos católicos por sua “falta de clareza” em uma entrevista concedida ao Diário de Pernambuco, D. Fernando procurou – com este artigo – corroborar o seu posicionamento [já destacado em Nota de Esclarecimento] acerca do aborto e da pedofilia. Sua Excelência demonstra total adesão à Doutrina Moral da Igreja que, como todos sabem, é veementemente contra o aborto e a pedofilia].


Dois assuntos polêmicos têm aparecido na mídia nos últimos dias: aborto e pedofilia na Igreja. Aborto, por conta da menina de 10 anos, grávida do seu padrasto que vinha mantendo relações sexuais com a criança. Pedofilia, devido aos escândalos internacionais e nacionais publicados nos últimos meses.

Com relação ao primeiro caso, que também é conseqüência de pedofilia, é do conhecimento de todos a posição da Igreja que, em hipótese alguma, aceita o aborto, posição esta com o que estou de acordo plena e incondicionalmente. Em nosso País, é legalmente permitido o aborto em casos específicos. A Igreja não concorda com essa lei, pois vai de encontro à suprema lei de Deus, que é o autor da vida e somente a Ele cabe tirá-la.

Fui, insistentemente, procurado pela imprensa local, para falar sobre o pensamento da Igreja, no caso da menina de Jaboatão dos Guararapes, grávida aos 10 anos de idade. Como bispo, expressei então o meu pensamento em defesa da vida, não admitindo o aborto, em nenhuma circunstância. No caso específico desta criança, a gravidez poderia ter sido levada adiante, com os devidos cuidados médicos, até o momento do parto cesariano, no esforço de preservar a vida do bebê e da mãe. Certamente, não faltaria família que adotasse a criança, caso a avó e a mãe assim desejassem. Lamentei, profundamente, o desfecho do caso.

Quanto à questão da presença da pedofilia na Igreja, parece até que está havendo uma orquestração com o intuito de manchar a imagem de uma milenar instituição de grande confiança popular. É claro que nos envergonham os fatos vindos à tona, mesmo sendo, a maioria deles, “requentados” como dizia nosso irmão Frei Aloísio Fragoso, em artigo recente.

A pedofilia na Igreja, uma vez comprovada, deverá ser combatida com urgência e determinação para evitar maiores prejuízos. O que não se admite é querer colocar como causa o celibato religioso e sacerdotal, exigido pela Igreja para os que se consagram. O celibato é uma vocação, dom de Deus, assumido espontaneamente para que haja total disponibilidade para o serviço do reino. Não é a Igreja que acolhe pedófilos. Estas pessoas com disfunções psicológicas ingressam na Igreja e, no celibato, tentam encobrir suas tendências e maus hábitos.

É sabido que apenas 0,6% do total dos padres, em todo o mundo, estão envolvidos em problemas desta natureza. É preciso render graças a Deus pela grande maioria de presbíteros que edificam a Igreja por uma vida santa. Por outro lado, é necessário entender que este problema não está apenas na Igreja Católica. É um problema social muito grave que se encontra em todas as esferas da sociedade. Com isto, não desejamos absolutamente amenizar nossa culpa.

Os padres são líderes espirituais e, como tal, deveriam dar o bom exemplo e não escandalizar. É lamentável, sobretudo, a pressão que tem sido feita à pessoa do santo padre, acusando-o de acobertar casos de pedofilia, quando arcebispo na Alemanha ou presidente da Congregação da Doutrina da Fé em Roma. Exatamente Bento XVI, que tem demonstrado grande sensibilidade para estas questões, escrevendo orientações para as Igrejas em todo o mundo ou dialogando e indo ao encontro das mais envolvidas, como Estados Unidos e Irlanda.

A Igreja tem passado, ao longo da história, por muitas tribulações e esta não será a última. Ela é formada por homens e mulheres cheios de virtudes e também de pecados. Acima de tudo, porém, está a graça de Deus que a guia pela ação do Espírito Santo. É preciso, então, levantar a cabeça e seguir adiante, esforçando-se para corrigir os erros e crescer na santidade, dom mais precioso de Deus, que recebemos no batismo.

              I – Papa, Facebook, Conselhos aos Jovens

 

              Há uma comunidade no Facebook criada com o intuito de congregar todos quantos desejam se informar e se preparar para a próxima Jornada Mundial da Juventude, que ocorrerá em Madrid o ano que vem. Nesta comunidade, encontram-se postados 10 conselhos que o Santo Padre, em abril de 2006, deu aos jovens. Penso que seja bom e útil revê-los. São eles:

 

1)       Conversar com Deus

2)       Contar-lhe as penas e alegrias

3)       Não desconfiar de Cristo

4)       Estar alegres: querer ser santos

5)       Deus: tema de conversa com os amigos

6)       No Domingo, ir à Missa

7)       Demonstrar que Deus não é triste

8)       Conhecer a Fé

9)       Ajudar: ser útil

10)   Ler a Bíblia

 

             Aconselho veementemente a todos que me estiverem lendo que vão á página do Facebook e leiam os breves comentários feitos pelo Papa ao dar cada conselho. O Santo Padre, naquela ocasião, concluiu seu pronunciamento aos jovens com estas palavras:

 

“Construir a vida sobre Cristo, acolhendo com alegria a palavra e pondo em prática a doutrina: eis aqui, jovens do terceiro milênio, o que deve ser o vosso programa! É urgente que surja uma nova geração de apóstolos enraizados na palavra de Cristo, capazes de responder aos desafios do nosso tempo e dispostos a difundir o Evangelho por toda a parte. Isto é o que o Senhor vos pede, a isto vos convida a Igreja, isto é o que o mundo – ainda que não saiba – espera de vós! E se Jesus vos chama, não tenhais medo de responder-lhe com generosidade, especialmente quando vos propõe segui-lo na vida consagrada ou na vida sacerdotal. Não tenhais medo; confiai n’Ele e não ficareis decepcionados”.

BENTO XVI

9 de Abril de 2006

 

 

              II – Assembléia Pastoral Arquidiocesana de Olinda e Recife

 

             Como a maioria dos católicos da Arquidiocese de Olinda e Recife já deve saber, está acontecendo – em atenção à convocação feita por D. Fernando Saburido – a Assembléia Pastoral Arquidiocesana. No site da Arquidiocese, encontrei uma matéria que trazia estes comentários a respeito da Assembléia:

 

“Padres, diáconos, religiosos e leigos esperam que esta seja o inicio de uma renovação na igreja particular de Olinda e Recife”.

“Para o Arcebispo, Dom Antônio Fernando Saburido, a descentralização das atividades arquidiocesanas, principal objetivo deste evento, refletirá em uma reestruturação eclesial e pastoral dando um novo ânimo para todos”.

             

               Eu acho realmente prejudicial esta linguagem que vem sendo empregada para se referir a tudo aquilo que diz respeito à Arquidiocese de Olinda e Recife. Tem-se falado sempre em “renovação”, “novo ânimo”, “reestruturação”, etc. Vejo nisso uma crítica velada [ou expressa?] à administração de D. José Cardoso Sobrinho. É como se a era de D. José fosse “velha, desanimada e desestruturada” [o que implica numa “necessidade de desfazer” tudo o que D. José fez]. Por causa desta terminologia infeliz as pessoas são levadas a crer que o arcebispo emérito, na época de sua gestão, “sufocou” a Arquidiocese – que agora “respira aliviada” sob o cajado de S. Excª. D. Fernando Saburido. Isso é uma GRANDE injustiça. Pronto. Disse.

              Antes que eu esqueça: o encerramento da Assembléia ocorrerá com uma celebração ecumênica…

 

              III – Anglicanos: conversão massiva e maciça

 

               Vejam que trecho maravilhoso de uma reportagem publicada por Zenit [grifos meus]:

A comunidade de anglicanos Foward in Faith, que tem sua sede principal na Austrália, poderia ser o primeiro caso de adesão coletiva à plena comunhão com a Igreja Católica depois da publicação da constituição Anglicanorum Coetibus, no último dia 4 de novembro.

Assim deu a conhecer o bispo anglicano David Robarts OAM, em declarações ao jornal australiano The Daily Telegraph, publicadas na terça-feira.

[…] Durante uma reunião realizada no último final de semana, cerca de 200 membros votaram unanimemente por voltar à plena e visível comunhão com a Igreja Católica.

 

             Quem sabe “fazer ecumenismo” é o Papa. Isso é inegável.  Enquanto alguns sacerdotes, bispos e até conferências episcopais inteiras acham que ecumenismo é cada um “ficar no seu canto” [como se todos estivessem certos, i.e., com a Verdade], o Romano Pontífice atrai para Cristo os filhos dispersos da Santa Mãe Igreja. Viva! Um amigo me lembrava hoje um “ditado” do professor Felipe Aquino – referindo-se ao Papa Bento XVI: “Eu confio no meu Pastor Alemão!” Eu também, professor! 😉

 

               IV – Padre Paulo Ricardo e Quarta-Feira de Cinzas

 

              Ultimamente [reconheço!] tenho citado bastante o Padre Paulo Ricardo. É que – permitam-me dizer – dia após dia me convenço de que Pe. Paulo é uma das mentes mais brilhantes da Igreja no Brasil. Assim sendo, permitam-me – ainda que com um pouco de atraso – recomendar este brevíssimo vídeo com mais um de seus comentários. Desta feita, ele discorre sobre o sentido da Quarta-Feira de Cinzas. Muito legal, de verdade!

Caríssimos,

Publiquei na página “Encontros” (localizada na barra lateral deste blog) o áudio de uma entrevista que me foi concedida por um dos membros do Movimento Igreja Nova. É curiosa a postura deles… Vão lá. Ouçam e comentem!

 

   

by Adriana Rocha 😉