Eu vi no Mídia Sem Máscara que o Olavo de Carvalho concedeu uma entrevista ao site Panorama Mercantil. Como sempre, Olavo fez declarações [pertinentes] com aquela “acidez” que lhe é própria. Uma pergunta, entre as tantas, chamou-me a atenção e por isso trago-a à baila para reflexão dos leitores:

Panorama – O que mais prejudicou a humanidade: a ciência, os bancos ou as religiões e por quê? 

Carvalho – Faça as contas. O movimento revolucionário, que prometeu nos libertar de todos os males do mundo, matou mais gente, em dois séculos, do que todas as epidemias, terremotos, furacões e guerras desde a origem da espécie humana. Some Revolução Francesa, Revolução Mexicana, Revolução Russa, Revolução Chinesa, etc., e compare com as demais causas de mortandade, incluindo guerras. Nada se compara, em capacidade mortífera, aos construtores de “um futuro melhor”. Não é uma questão de opinião. É uma questão de números. Perto disso, acusar as religiões ou a ciência é de uma hipocrisia sem par.

Para uma pergunta clássica, uma resposta óbvia. Boa, Olavo!