Um alerta simples mas extremamente necessário – já que estamos na iminência das eleições.  D. Fernando Guimarães, Bispo de Garanhuns [PE], resumiu em uma só nota a questão do exercício do voto [e da responsabilidade inerente a este exercício], da necessidade de fazer os candidatos passarem pelo crivo da Moral Cristã antes de receberam o voto de um cristão, e da proibição aos padres e religiosos de exercerem atividade político-partidária. É sempre bom recordar estas coisas. D. Fernando fê-lo em poucas e claras linhas. Genial.


————–

Prot. N. 0294∕10

NOTA SOBRE AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES

Dom Fernando Guimarães, Bispo Diocesano de Garanhuns, no exercício de sua responsabilidade pastoral, tendo em vista as próximas eleições estaduais e federais, recorda aos fieis católicos o seguinte:

1.                 A Igreja Católica não tem candidatos próprios, nem recomenda qualquer candidato. O exercício do voto é um direito e dever de cada cidadão, que deve exerce-lo segundo a sua própria consciência.

2.                 Os católicos são convidados a cumprirem este seu dever cívico, com responsabilidade e critério. Para isso, devem analisar com atenção a pessoa de cada candidato, a sua honestidade e probidade pessoal e o seu programa de governo. Eventuais propostas de governo contrárias à lei natural, à moral e à doutrina católica serão critérios orientadores para se votar ou não em um candidato.

3.                 É ilegal e imoral vender o próprio voto, em troca de benefícios de qualquer espécie.

4.                 Os padres e religiosos não podem exercer atividade político-partidária e os locais ligados à Igreja Católica não devem ser utilizados para eventos referentes à campanha eleitoral de qualquer partido ou coligação.

5.                 Esta Nota seja lida nas Santas Missas dominicais dos dias 4 e 5 e dos dias 11 e 12 de setembro de 2010.

Garanhuns, na sede da Cúria Diocesana, aos 1º de setembro de 2010.

+ Fernando Guimarães

Bispo Diocesano de Garanhuns