D. Aldo Pagotto, Arcebispo Metropolitano da Paraíba, ao contrário da CNBB, manifestou sua postura discordante com relação à proposta comunista de realizar um plebiscito pela limitação da terra e da propriedade no Brasil. Por causa disso, como já era de se esperar, foi duramente criticado pelos fantasmas marxistas de plantão [dentro e fora da Igreja…]. Em agradecimento àqueles que o apoiaram, D. Aldo Publicou na semana passada a seguinte nota:


———


Nota de Agradecimento


Aos prezados amigos que me enviaram mensagens de apoio solidário sobre o meu posicionamento tomado a respeito da controversa questão do “limite de propriedade e de produção”, tomo a liberdade de lhes enviar dois artigos, em anexo [Nota do editor: vide post scriptum].

Aproveito para relatar o fato ocorrido por ocasião do “Grito dos Excluídos”, na tarde do dia 1º/09 pp. Em frente à Cúria Metropolitana, um pequeno grupo de manifestantes leu um texto com expressões agressivas à minha pessoa, referindo-se a um artigo meu sobre o limite de propriedade.

Embora fossem poucos, apresentaram-se como representantes de cerca de 50 entidades, algumas citadas no texto lido, publicado pela “Adital”, na internet.

Entre os poucos manifestantes pode-se reconhecer pelas fotos alguns membros da CPT e um “assessor” de deputado do PT, candidato à reeleição, num carro de som, comandando palavras de ordem.

Numa atitude de vandalismo, toda a fachada artística e patrimonial da Cúria foi pichada com frases de protestos e reivindicações. Antes da Cúria se dirigiram à Procuradoria da Justiça do Estado (PB) onde picharam também aquele prédio.

Documentamos a frase: “Exigem a liberalização do aborto e o limite de propriedade”.

Dispensam-se comentários.

A Igreja defende e promove a vida e a família! O artigo 5º da Constituição Federal vincula ao direito de propriedade o direito à vida e sustento da família, através do trabalho.

É estranho como certos militantes dos movimentos sociais, de organizações populares, partidos políticos (etc), defendem a democracia, em tese. Na prática não admitem opiniões opostas. Temem e tentam reprimir a liberdade de expressão dos que contrariam seus intentos.

Com a minha gratidão, sigo com uma reflexão sugestiva.

Aprofundemos nossas reflexões a partir da Palavra de Deus, do Catecismo da Igreja Católica e do Compêndio da Doutrina Social da Igreja, que abordam os assuntos como estes, equidistantes de ideologias partidárias.

Fiquemos ao lado de Jesus Cristo e de seu Evangelho para estarmos sempre mais do lado do povo e ao serviço de todos!

+ Aldo di Cillo Pagotto, sss

Arcebispo Metropolitano da Paraíba

—–

Parabéns, D. Aldo. E coragem!

p.s.: Os artigos escritos por D. Aldo, ao qual ele faz referência no texto, são os seguintes:

I – Sobre o Limite à Propriedade Produtiva é este.

II – Sobre Terra e Produção é este.