Há muito o Papa Pio XII, de veneranda memória, é criticado e perseguido por sua suposta omissão durante o período em que grassava a barbárie nazista. A crítica é, obviamente, injusta e caluniosa. Aliás, às vezes me pego pensando que obrigação tinha o santo padre de salvar os judeus das garras de Hitler e seus asseclas. Ora, cristãos foram e são perseguidos o tempo inteiro – da era apostólica até os dias atuais – e, ao que me consta, nenhum líder religioso sentiu-se no dever moral de tomar a defesa dos cristãos… Mas, deixando de lado esse aspecto, o fato é o seguinte: Zenit publicou que a “Pave the Way Foundation (PTWF) anunciou o descobrimento de documentos vaticanos de grande importância” a respeito do papel do então cardeal Eugênio Pacelli na “salvação” dos judeus. Trago aqui alguns trechos da matéria que me chamaram a atenção (grifos meus):

“Até agora, temos mais de 40 mil páginas de documentos, vídeos de testemunhas oculares e artigos em nosso website (www.ptwf.org) para ajudar os historiadores a investigar este período.”

O historiador e representante da PTWF na Alemanha, Michael Hesemann, visitou regularmente o Arquivo Secreto vaticano, aberto recentemente, e continua realizando descobertas significativas. Seu último estudo dos documentos originais publicados anteriormente revela ações secretas para salvar milhões de judeus desde 1938, três semanas depois da Noite dos Cristais.

“Dado que muitos dos críticos deste pontificado ainda não aceitaram a direta e provada ameaça nazista contra o Estado Vaticano e a vida do Papa Pio XII, parecem não compreender que era necessário usar subterfúgios, dado que eram enviadas somente diretivas criptografadas ou verbais.”

“Em muitos casos, os historiadores ignoram a linguagem vaticana, que às vezes usa o latim para expressar o significado oculto destas petições.”

Não se empenhar em salvar somente os judeus (…), mas também sinagogas, centros culturais e tudo o que pertencia à sua fé.”


40 mil páginas! É isso mesmo! Enquanto os inimigos da Igreja não têm sequer uma página de acusação procedente contra o Cardeal Pacelli (depois Papa Pio XII) a Igreja apresenta 40 mil laudas de defesa! E mais: ele não salvou uma ou outra família de judeus, mas milhões! Salvou a eles e até mesmo à cultura religiosa deles. Que estes números sirvam, se não para calar a voz dos inimigos da Igreja, pelos menos para desmascarar a desonestidade e/ou imperícia de certos historiadores.

Anúncios