A Associação Cultural Montfort, em pouquíssimas palavras, noticiou o falecimento do seu fundador, o professor Orlando Fedeli. A blogosfera católica de imediato replicou a notícia e lamentou o falecimento do ilustre professor (vide fim deste post).

Tive pouco relacionamento com o Fedeli. Quando de suas vindas a Recife, por duas vezes o encontrei na saída da Santa Missa. Cumprimentei-o brevemente, impressionado com o fato de que ele, já sendo um homem de bastante idade, pudesse se ajoelhar [e o fizesse] com relativa facilidade. Lembro, ainda, que a gravidade daquela voz rouca e a força daquele sotaque [tão diferente do meu…] me chamaram a atenção. Quando publiquei a Carta Aberta ao Padre Fábio de Melo, o professor Fedeli citou este blog para levar adiante a cruzada (mais uma!) que ele havia decidido empreender contra a atuação e a postura do Padre Fábio. Da minha parte, referi-me a ele diretamente poucas vezes (uma delas foi neste post), mas em diversas ocasiões mencionei o site da Montfort (na última menção, divulguei a criação do Twitter da Associação).

Colecionador de inimigos e de admiradores. Personalidade sangüínea, homem de uma inteligência invejável, apóstolo incansável: assim era Orlando Fedeli. Zeloso ou exagerado? Tradicionalista ou fanático? As dúvidas que pairavam sobre a sua figura agora se eternizam. Os que esperavam que ele mudasse de ideia, não verão mais isso acontecer. Por sua vez, os que apoiavam tais ideias, agora se sentem órfãos e também não mais o verão defender – com paixão e ferocidade – as posições que assumia publicamente.

Mas, mais que comunicar o fato do falecimento do professor, creio que seja importante [sobretudo para os que, de algum modo, lidam com apologética] refletir sobre “o que leva um homem a assumir a defesa tão apaixonada de algo?”. Por certo esta resposta é difícil de ser dada porque exige uma análise aprofundada da pessoa a quem se está referindo, bem como do objeto que está sendo defendido. Fedeli julgava estar defendendo a Igreja. Movido por orgulho ou por amor à Verdade? Talvez as duas coisas…

Educador nato [e, por isso, um importante formador de opinião], debatedor exemplar [adepto do método escolástico]. Conversor de almas para Cristo e a Igreja? Ou apenas um homem que buscava angariar continuadores da sua obra? Talvez as duas coisas. Os meios que escolhemos podem nos levar a atingir o fim a que aspiramos. Ou não…

E, assim, o Altíssimo pôs um ponto final na vida de Orlando Fedeli, sem esclarecer as interrogações que giravam em torno da sua pessoa, mas permitindo que ficasse o rastro das exclamações com as quais ele pontuou a sua existência.

Enfim, aos que puderem e desejarem ir ao enterro, seguem as informações de data, local e horário:

Cemitério Vila Mariana

Endereço: São Paulo/SP, Rua Lacerda Franco, 2012.

Horário do enterro: 17 horas

Data: 10.06.2010

Que Deus o acolha na glória reservada aos eleitos e que a Virgem de Fátima o receba em seu regaço maternal. Amém.

Outras publicações correlatas ao falecimento do professor Fedeli:

i) Falecimento de Orlando Fedeli

ii) Morre o Professor Orlando Fedeli

iii) Faleceu o Prof. Orlando Fedeli, presidente da Associação Cultural Montfort

iv) Falecimento do Prof. Orlando Fedeli

v) Sobre a morte do Prof. Orlando Fedeli

Anúncios