Por Adriana Rocha


Chegar pontualmente a um compromisso marcado com outrem, ainda quem seja apenas uma atividade de lazer, demonstra respeito e consideração para com o próximo. Analogamente, cumprir horários estabelecidos por nós mesmos para nossas atividades, ainda que corriqueiras, é sinal de compromisso com nosso futuro.

A boa administração do tempo nos torna mais eficientes e nos dá ânimo na medida em que passamos a perceber quantas coisas podemos fazer a despeito deste recurso tão escasso. Por permitir que utilizemos com mais frequência nossas habilidades, nos livra do atrofiamento reservado aos preguiçosos e bagunçados.

Atrofiam-se as habilidades porque não exercitadas.

Atrofiam-se os anseios, as ambições, pois tudo parece dar muito trabalho e não há tempo suficiente.

Atrofia-se a alma, que perde o desejo de ir além.

Se a vida cristã é luta, devemos ser como soldados. Tal como eles, precisamos acordar na hora, mesmo quando achamos cedo demais. Ficar atentos na madrugada, mesmo que estejamos fatigados de um dia inteiro. Obedecer, mesmo contra nossa vontade. Mesmo que nos seja impossível compreender os planos do general…

E o nosso primeiro inimigo se encontra logo ali, do outro lado do espelho. Precisamos nos vencer diariamente, fazer o que tem que ser feito, sem ceder aos caprichos dos sentidos, que sempre desejam um pouco mais do que é completamente dispensável.

Por certo alguns perguntarão: como posso vencer-me se eu e meu inimigo temos, por óbvio, as mesmas forças? E respondo: não estamos sozinhos nesta luta. “Eis que estarei convosco até o fim dos tempos”. Podemos confiar que Cristo está conosco. Mais, como no Cenáculo, Maria se une a nós em oração e o Paráclito nos dá coragem.

Com tamanhos Aliados e sob o comando do Pai Onipotente, resta-nos aderir com toda a nossa vontade e de todo o coração a esta gloriosa batalha, visando tão sublime prêmio: a Vida Eterna.

Anúncios