Chegou ao meu conhecimento que o Padre Fábio de Melo recomendou no programa Direção Espiritual, exibido pela Canção Nova, a leitura do teólogo Andrés Torres Queiruga. Bem, eu não assisti ao programa e espero, de todo coração, que essa recomendação não tenha sido feita. Mas, para o caso de esta desgraça ter acontecido, e tendo em vista o bem das almas, obrigo-me em consciência a dizer: Queiruga é um teólogo nada ortodoxoEncontrei na internet uma sinopse de um de seus livros [que, embora não tenha sido escrita por ele, é óbvio, reflete bem o teor das suas maluquices]. Vejam [grifos nossos]:

“Repensar a Ressurreição” é um destes livros polêmicos que visam mostrar outra forma de se pensar e viver o cristianismo. O Livro aborda a questão da ressurreição de Cristo, mas não da forma clássica como o cristianismo vêm afirmando ao longo dos séculos. Para Queiruga, Cristo ressuscitou sim, mas não de corpo e, sim em espírito. Segundo ele, basta um olhar crítico sobre as Escrituras para se perceber isso. O Livro, certamente, foi motivado pela suposta descoberta de um túmulo contendo o corpo de Jesus. De acordo com Queiruga em “Repensar a Ressurreição”, encontrar a tumba com o corpo de Cristo em nada atrapalharia a o cristianismo, uma vez que Cristo não ressuscitou, necessariamente, de corpo, mas tão somente em alma. O livro é polêmico e sofreu severas críticas da Igreja oficial.

Publicar uma coisa dessas em pleno tempo pascal é quase um sacrilégio. Perdoem-me, mas não resisti… D. Estevão Bettencourt já havia exposto, e o Veritatis publicado na internet, as razões pelas quais o livro “Repensar a Ressurreição” não é recomendável.

Além disso, uma dissertação, publicada no Portal Universia, acerca do pensamento de Queiruga sobre os “lugares teológicos da revelação divina”, revela outro lado – igualmente preocupante – do teólogo em questão. A autora da dissertação diz [novamente os grifos são nossos]:

Por fim, analiso o pensamento de Queiruga sobre a revelação de Deus nas diferentes manifestações religiosas. Para o autor, todas as religiões são verdadeiras e constituem, por isso mesmo, caminhos reais de salvação, para os que buscam viver a fé de forma honesta.

Por essas e outras acho que não se deve dar audiência ao que fala esse teólogo herético. Quem avisa, amigo é…

Anúncios