A Folha de São Paulo publicou ontem, no início da noite, a indignação de D. Dimas Lara Barbosa – secretário geral da CNBB – frente à oração farisaica de Rubens César Brunelli (PSC), Leonardo Prudente (DEM) e Durval Barbosa. A matéria diz:

 

O secretário geral da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), dom Dimas Lara Barbosa, ficou revoltado ao ser informado sobre o vídeo em que aliados do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), alvos da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, oram após receberem propina.

“Essa cena eu ainda não vi e de certo modo foi bom ainda não ter visto, pois me sentiria revoltado”, afirmou.

Aliados de Arruda foram filmados recebendo dinheiro e guardando maços de notas em bolsas, bolsos e até dentro de meias.

Após receberem a propina, o deputado Rubens César Brunelli (PSC), o atual presidente da Câmara, Leonardo Prudente (DEM), e Durval Barbosa, ex-assessor de Arruda e colaborador da PF que entregou o suposto esquema de desvio de verbas públicas e arrecadação de propina de empresas para pagar despesas de campanha e distribuir recursos à base aliada do governador, oram.

“Lamento que a religião esteja tão banalizada a tal ponto de as pessoas não a verem como serviço a Deus e ao próximo, mas como servir-se da fé e do próximo; isso é uma inversão total de valores”, disse o secretário geral da CNBB.

Dom Dimas reafirmou ainda a perplexidade da entidade diante dos vídeos divulgados e cobrou apuração rigorosa dos fatos. “Estamos perplexos com o que já vimos nesse caso e queremos que as investigações sejam ágeis e que, o quanto antes, a ética possa prevalecer e os fatos possam ser esclarecidos.”

 

             Fica a pergunta: a oração desta tríade de corruptos não será, também, fruto da Teologia da Prosperidade – doutrina protestante que ensina os homens a buscar sucesso e bem-estar a qualquer custo e por quaisquer meios? Trata-se de um problema filosófico: perdeu-se a noção de que os fins não justificam os meios…

              Na verdade, este episódio ilustra uma porção de problemas e deficiências morais: falta caráter, inexiste capacidade de discernimento conforme a reta razão (porque as consciências parecem já estar deturpadas), e – além disso – não se sabe o que é a oração.

               Sobre este último ponto há um fato curioso que merece menção: há pouco tempo um amigo contou-me que o herege R.R. Soares – da Igreja Internacional da Graça – deu o seguinte conselho ao “seu rebanho”: “Ponham Deus contra a parede. Exijam que Ele lhes atenda!”. Isso é tão ridículo que me custa acreditar que foi realmente dito. Acaso ele não leu aquela passagem do profeta Isaías que diz: “Pode, porventura, o barro ordenar ao oleiro o que fazer?” Penso que esta mesma pergunta poderia ser feita a gente como R.R. Soares. Pode uma criatura das ordens ao seu Criador? A oração é para que Deus realize em nós a Sua vontade ou a nossa?

             Bom, aos que não assistiram ao vídeo– D. Dimas inclusive – ei-lo:

Anúncios