I

            Sílvio Berlusconi tenta virar o jogo. Deu uma de cordeirinho… É isso que, em outras palavras, noticiou o El País. Segundo o jornal espanhol, o chefe de governo da Itália afirmou ser vítima da imprensa “comunista e católico-comunista”. Entendi a quem ele se referiu quando usou a expressão “comunista”. Porém, provavelmente devido à minha limitação intelectual, não consegui compreender o que ele quis dizer com “católico-comunista”. Gostaria de registrar, ou melhor, de reforçar que a espécie “católico-comunista” não consta como existente em parte alguma deste universo dodecaédrico. Nunca existiu, não existe e jamais existirá. Por quê? Porque estas duas características são como água e óleo: imiscíveis entre si! Não pode haver comunhão entre Cristo e Belial, entre a luz e as trevas. Para ser bonzinho, ouso dizer que quem mais se aproxima de um ser “católico-comunista” são os adeptos da teologia da libertinagem. Eles insistem em tentar servir a Marx e a Javé ao mesmo tempo. Tadinhos. Quando entenderão que as opções são excludentes (i.e.: ou se é católico ou se é comunista)? Rezemos para que esta tentativa de produzir um híbrido (resultante do cruzamento de um católico com um comunista) não produza monstros em série…

 Em passant: Como não bastasse a cara-de-pau e a tosca construção da expressão “católico-comunista”, Berlusconi ainda nos brindou com uma demonstração ímpar de humildade. Disse ele: “os italianos querem ser como eu”. É mole?

 

II

Talvez seja um fake, mas – de qualquer forma – eu fiquei estarrecido com o comentário de uma sujeita – que atende pelo nome de Carla – em resposta a um post intitulado “Como fazer aborto?”. A fulana – que diz ser enfermeira e, depois, faz crer que é médica – dá uma descrição completa de quais remédios podem ser usados para a prática do abortamento e quais os efeitos que cada um deles causa no feto. E tudo isso com uma naturalidade digna de Alfred Hitchcock! Eis aqui um trecho macabro do comentário da Srtª. Carla (ipsis literis com grifos meus):

 

“RU-486 Que fuciona diretamente no feto, provocando um ataque cardiaco, A RU -486 é um fármaco que se utiliza, quase exclusivamente, para produzir o aborto de embriões de em até 7 meses de vida. O seu nome genérico é Mifepristona. (conhecido como mifepristone) É uma hormona sintética que bloqueia a progesterona, hormona esta que é indispensável ao prosseguimento da gravidez. O filho concebido não pode continuar o seu desenvolvimento normal porque a RU 486 impede a sua implantação no útero (nidação), ou provoca a sua expulsão do próprio útero, produzindo a sua morte. Esta injeção elimina o feto atraves de taquicardia e falta de oxigenio , causando a falencia total do feto”.

 

Deus nos defenda da maldição do aborto e nos preserve da total deturpação da consciência! Nossa Senhora Conceição Aparecida, padroeira do Brasil, Rogai por nós!

 

III

Ainda as mazelas resultantes da gripe H1N1: “Nem mesmo as autoridades poderão beijar o relicário com o sangue de S. Gennaro”. É o que divulgou o periódico italiano Corriere della Sera. Trata-se de uma antiga tradição que será *interrompida* por conta dessa maldita gripe (que a meu ver já virou um a febre). Gostei bastante da redação feita pelo Corriere acerca desta matéria: mostra bem a indignação das pessoas que, no próximo dia 19 de setembro, vão a Nápoles participar de uma festa de São Gennaro afetada pela gripe…