“Tudo o que fazemos é por amor (…). No Brasil milhões de (…) vivem nas ruas e 70% acabam em abrigos. Infelizmente 90% destes nunca encontrarão um lar. Todo (…) merece um lar feliz. Queremos mudar esta realidade” (texto editado).

            Se eu pedisse que você, caro leitor, substituísse as reticências entre parênteses por uma expressão qualquer, talvez você – ingênuo – aplicasse a palavra “pessoas” ou então “seres humanos”. Sinto dizer: não se iluda. O termo que complementa o texto acima é “cachorros”.
Então, o texto fica assim:

 

            “Tudo o que fazemos é por amor aos cachorros. No Brasil milhões de cães vivem nas ruas e 70% acabam em abrigos. Infelizmente 90% destes nunca encontrarão um lar. Pedigree acredita que todo cachorro merece um lar feliz e quer mudar esta realidade”. (http://www.adotaretudodebom.com.br/index.php/entenda).

 

            Trata-se de um projeto mundial, que pretende destinar cerca 1 milhão de reais, até outubro de 2009, a diversas instituições brasileiras de adoção de cães. No site (www.adotaretudodebom.com.br) encontram-se além do texto que expus acima, frases como: “Todo cão merece viver em um lar cheio de amor”, “a adoção deve ser sempre um ato consciente e responsável”, etc.

            Não há, em si, nenhum problema em adotar cães. Como também não há em adotar porcos ou ornitorrincos. A questão que eu quero expor aqui é como a sociedade moderna tem se preocupado com o superficial e tem esquecido o essencial. Há milhões de cães abandonados, é verdade. Mas há também milhões de crianças abandonadas! Os canis estão carentes de doações, é verdade. Mas os orfanatos e creches precisam muito mais!

            Cícero Harada, procurador do Estado de São Paulo, já comprou uma briga semelhante quando denunciou o absurdo que é punir, como crime inafiançável, a destruição de ovos de tartaruga; e querer permitir a destruição de seres humanos, via aborto. As pessoas perderam completamente a noção de que o ser humano é senhor de todas as criaturas! De que a dignidade humana excede, ultrapassa, a dos demais animais.

            “Dominamini piscibus maris et volatilibus caeli et universis animantibus, quae moventur super terram “. (Dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra)”.