Eu já havia comentado aqui, como é lastimável que sacerdotes do Deus altíssimo se escusem do seu sagrado ofício para embrenhar-se em política partidária. Esse é um dos trágicos efeitos causados pela Teologia da Libertinagem (disseminada por Libertino Boff e sua trupe).

Um escândalo recente, publicado neste site, atesta o quanto é incoerente que ministros de Deus se convertam em ministros políticos. O fato é o seguinte: um padre… deputado federaldo PT… apóia o programa federal Brasil sem homofobia.

 

Dando nome aos bois:

 

– O padre-político em questão é deputado pela Paraíba e chama-se Luís Couto. Achei no site dele duas matérias (esta e esta outra) que, embora não contem diretamente com a opinião pessoal dele, pelo simples fato de estarem postadas na sua página, me fazem crer que ele comunga da opinião do autor das matérias. De outro modo, não publicaria ou faria as devidas ressalvas. Uma das reportagens a que me refiro trata daquela malfadada carta de apoio à candidatura de Marta Suplicy lançada por alguns padres. Quando do ocorrido, comentei o fato.

– O programa Brasil sem homofobia foi lançado, como era de se esperar, pelo Governo Lula, em 25de Maio de 2004 (clique aqui para conhecer os detalhes do programa). Grosso modo, consiste no seguinte: educar as crianças ou a ser em gays, ou a achar que o homossexualismo é normal (há quem defenda que é até “natural”!). Brasil sem homofobia significa dizer: Brasil sujeito a uma total depravação moral, enquanto os católicos – amordaçados – assistiriam ao espetáculo da imoralidade (que aconteceria sob as bênçãos da lei). Este programa conta com o apoio de 2 entidades nacionais e 16 entidades estaduais (en passant: algumas entidades estaduais tem nomes ridículos. Por ex: na Paraíba existe um grupo gay chamado: Movimento do Espírito Lilás).  Entre estas entidades, destaca-se o Grupo Arco-Íris, o qual faz parte do comitê que elabora o programa Rio sem homofobia. Concatenando as idéias percebe-se que o Brasil se homofobia nada mais é que a ampliação (epidêmica) da proposta fluminense. Júlio Severo teceu importantes comentários a respeito desse ardiloso programa do Governo Federal.

 

Dados os nomes aos bois é imperioso fazer alguns questionamentos:

 

– O que pretende este senhor Luiz Couto ao apoiar uma iniciativa canalha como essa do Brasil sem homofobia? Causar mais escândalo?

– Será que ele, com a desculpa de estar cuidando das “minorias marginalizadas e oprimidas”, esqueceu-se da maioria que o elegeu?

– Será que ele crê que a Lei de Deus prescreveu ou foi revogada?

 

 Penso que podemos partir destes questionamentos (e de muitos outros) para fazer a nossa parte enchendo a caixa de e-mail do ilustre deputado.  O e-mail oficial do reverendíssimo é: dep.luizcouto@camara.gov.br. Vamos lá! Mãos à obra!

 

Atenção: os gays já arregaçaram as mangas! Vejam isso:

 

A Campanha Não Homofobia – iniciativa que propõe, através de um abaixo assinado online no site www.naohomofobia.com.br, reunir 1 milhão de assinaturas a favor da aprovação do PLC 122/ 2006 (criminalização da homofobia) – terá seu lançamento nacional na próxima terça-feira (25) no Congresso Nacional, dentro do II Seminário de Advocacy LGBT e Aliadas (grifos meus)” (disponível em http://www.naohomofobia.com.br/noticias/mostraNoticia.php?Section=5&id_content=374).

 

Erguei-vos, Senhor, e defendei a vossa causa! Ergamo-nos também nós, qual exército em ordem de batalha pronto para lutar pelos direitos de seu Senhor! Avante!

Anúncios