Na última quarta-feira (29), faleceu o Pe. Bernard Digal. Após mais de 2 meses de luta contra as lesões que sofreu em 25/08/2008 por ser cristão. Extremistas hindus o feriram gravemente, levando-o à morte aos 45 anos de idade durante uma intervenção cirúrgica na cabeça. “Os mortos por causa da violência contra os cristãos são aproximadamente 100, enquanto são milhares os feridos e continuam as matanças, freqüentemente escondidas. Cerca de 15 mil cristãos estão ainda em campos de refugiados, e cerca de 40 mil fugiram para a selva ou a outros lugares, aterrorizados por grupos de extremistas hindus”, publicou Zenit.

            Mas, diante destas desanimadoras estatísticas, graças a Deus, consegue-se entrever um fio de esperança: Segundo a agência de notícias Fides, A comunidade católica está se unindo para enfrentar as dificuldades pelas quais passam os cristãos no estado de Orissa (região em que Pe. Bernard prestava assistência).

 

            Isto serve para pensarmos que não foi só a Igreja Primitiva que sofreu perseguições: ainda hoje a Esposa de Cristo é perseguida. Aliás, faz parte da essência da Igreja ser caçada e passar pelos mais terríveis tormentos: “Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus! Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim.Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós.Vós sois o sal da terra. Se o sal perde o sabor, com que lhe será restituído o sabor? Para nada mais serve senão para ser lançado fora e calcado pelos homens”(Mt 5, 10-13)

 

Exsurge, Domine!

Anúncios