agosto 2009


            Lembram-se daquele post em que fiz coro a um protesto sobre o show de Madonna na Polônia? Pois é, o show aconteceu. Vejam o que o Notícias Lepanto publicou sobre a malfadada apresentação da cantora norte-americana:

 Informe a respeito dos protestos contra o show de Madonna na Polônia:

            O show realizou-se, mas num ambiente nacional de repulsa. A mídia não falou quase nada no Brasil sobre isso. A cantora saiu “fugindo” da Polônia como impelida por uma força superior, e cancelou um show que faria em seguida.

            O valor reparador de nossa campanha junto a Nossa Senhora foi a dos filhos fiéis que a acompanharam num momento de uma ofensa coletiva. A blasfêmia, de si, não atinge a Deus nem a Nossa Senhora. O que Lhes causa dor é a insensibilidade dos bons. Mas, em virtude de nossa campanha, isso não houve.

Mais detalhes no post:

http://luzesdeesperanca.blogspot.com/2009/08/madonna-faz-show-na-polonia-mas-sai.html

Caríssimos,

Publiquei na página “Encontros” (localizada na barra lateral deste blog) o áudio de uma entrevista que me foi concedida por um dos membros do Movimento Igreja Nova. É curiosa a postura deles… Vão lá. Ouçam e comentem!

            Desde segunda-feira (24) estou com os dedos ansiosos por escrever alguma coisa a respeito da XII Jornada Teológica D. Hélder Câmara. Para não emitir uma opinião precipitada, esperei o fim do encontro – que foi ontem – para tecer as minhas considerações sobre o evento. Sinto ter que decepcionar os leitores que esperam elogios à Jornada. O tom deste post é meio-triste, quase-decepcionado. Além disso, os comentários que farei são **o mínimo** do que se poderia dizer a respeito deste congresso TL. Porque a verdade é essa: não passou de um grande encontro comunistóide sobre o qual eu poderia comentar várias coisas. Desde relembrar a história da equipe organizadora (arquiinimiga do arcebispo emérito, D. José), até refutar as opiniões malucas expostas no livro que D. Clemente Isnard, OSB, lançou durante o evento (depois vou escrever um post só sobre esse livro de D. Isnard). Mas, enfim, com o pouco tempo de que disponho para escrever, quero dizer que:

            A XII Jornada Teologia D. Hélder Câmara foi realizada no auditório da Faculdade de Filosofia do Recife entre  os dias 24 e 26 de Agosto. Para mim foi uma verdadeira penitência participar deste evento. Eu poderia até dizer que foi um “martírio” para mim; mas – para evitar a tentação da presunção – limito-me a classificar a minha participação neste encontro como um ato de penitência. No primeiro dia, a aula de heresia e comunismo foi dada por Frei Betto. Não compreendo como as pessoas podem tecer loas a um inimigo da Igreja. Frei Betto é um homem que, entre outras coisas:

 

- Considera a Cúria Romana como uma “estrutura de dominação”;

- Defende a ordenação de mulheres (condenada na encíclica Ordinatio Sacerdotalis);

- Defende a implantação do comunismo como modelo de organização social (embora o papa João Paulo II já tenha declarado que o socialismo é uma “ideologia do mal”; e embora seja conhecido de todos que o comunismo é, em essência, ateu);

- É abortista;

- Defende o regime de Fidel em Cuba (com “El Paredon” e tudo mais).

 

            Numa palavra: Frei Betto tem sido – já desde há muito tempo – um dos maiores disseminadores de heresia entre os católicos e relativismo na sociedade em geral. O que ele tem feito todos estes anos é lançar milhares de almas nos braços de Satanás. Não há como esquecer as palavras de Cristo quando disse: “Quem não ajunta comigo, dispersa”. É isso que ele tem feito: dispersado as almas.

            Na XII Jornada Teológica D. Hélder Câmara tive a oportunidade de conhecer realmente, e de perto, a mentalidade TL. E agora – mais que nunca – posso falar com propriedade: A Teologia da Libertação é uma portentosa obra do Demônio. Entre outras coisas percebi que:

 

- A noção de “Igreja” dos TL’s é puramente horizontal (como se a Igreja fosse uma organização humana qualquer); entre as instituições religiosas, eles consideram que a Igreja é só mais uma. A conseqüência última deste pensamento é que a Igreja Católica Apostólica Romana deixa de ser a Igreja *de Cristo*, a *Esposa* de Cristo;

- A noção de sacerdócio por eles propalada nivela todo mundo por baixo: padres e leigos têm iguais poderes e dignidade. Não se tem a mínima idéia da divisão claríssima que há entre o sacerdócio comum dos fiéis e o sacerdócio ministerial dos presbíteros;

- A criatividade litúrgica dessacraliza as celebrações;

- As orações são superficiais e mal-feitas;

- Dá-se mais importância ao legado do filósofo “fulano de tal” que às obras dos Santos.

- Querem fazer prevalecer a “democracia” numa estrutura que é, por natureza, hierárquica.

- Ao contrário do que sempre ensinou a Igreja, “Salvação” – para esta gente – significa “Justiça Social”, algo como bem-estar nesta vida. Perdeu-se a dimensão do transcendente… Esqueceram que Jesus disse: “que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro se vir a perder a própria vida?”.

- Estão pouco se lixando para os Mandamentos. O negócio é o seguinte: se cada um agir segundo a sua consciência, está tudo bem.

 

            Meu Deus! Que raça de “católicos é essa”? E tudo que eu estou aqui relatando está documentado, gravado, fotografado, filmado, etc. Ou seja: não se trata das minhas impressões preconceituosas. São <fatos> que saltam aos olhos (e bradam aos céus!). São tantas opiniões distorcidas, tantas posições contraditórias e errôneas, tantos elementos de heresia, que não dá – definitivamente – para prestar nenhum apoio à gente envolvida com essa “teologia”. Quanto à pessoa de Frei Betto, não conheço. Quanto à sua índole, Deus julgará. Todavia, quanto àquilo que *objetivamente* ele defende, posso dizer que nada se aproveita. Que vergonha para Santo Tomás de Aquino ter um confrade deste alvitre!

             A Teologia da Libertação – com as malditas comunidades de base, com o trio BBB [Betto, Boff e Barros], com padres políticos e tudo mais – tem minado Igreja por dentro e grande parte dos padres, e também dos fiéis, não percebe isso. É triste, é lamentável. Em Recife, temos uns poucos padres que – graças a Deus – têm enfrentado o monstro TL. Mas é muito pouco. Quem realmente podia fazer alguma coisa não o faz: ou porque prefere se omitir e não encarar este árduo combate; ou porque discorda da nocividade disseminada por esta teologia no seio da Igreja e na mente dos católicos. É uma pena. O povo está sendo mal formado porque – entre outras coisas – muitos sacerdotes preferiram ensinar as teologias da moda [que circulam nos corredores das universidades] a ministrar o catecismo.

            Eu já me convenci de que não posso coisa alguma. Nós, ditos “tradicionalistas”, nada podemos. Os hereges ganham espaço para defender os seus achismos; mas nós – quando expomos a Doutrina da Igreja – somos menosprezados e discriminados como “aqueles que acham que sabem de tudo”. Não temos voz nem vez a não ser no nosso próprio meio: nos nossos blogs e sites, fazendo uma apologética católica que – infelizmente – há muito foi esquecida pelos sacerdotes e leigos em nome de um “tolerantismo” (perdão pelo neologismo) que esvazia a nossa identidade.

            Diria Cícero: “Que tempos! Que costumes!”.

            

            Uma nota ligeira, mas que eu não posso deixar de fazer: fui informado de que a cantora Elba Ramalho - que anunciou participação na Marcha pela Vida,  em Brasília – está sendo pressionada por abortistas a não comparecer ao evento. A equipe de produção de Elba, cujo show encerrará a manifestação, tem recebido inúmeras cartas de protesto de entidades pró-aborto por sua participação na Marcha, numa clara tentativa de amedrontar a cantora paraibana. A Marcha ocorrerá no próximo domingo (30).

             E onde está a nossa parte nisso tudo? Façamos o seguinte: vamos enviar mensagens de apoio à atitude da Elba de participar da luta pró-vida. Ela tem que saber que estamos contentes com sua participação. Não podemos nos deixar abater, muito menos vencer, por essas ongs abortistas.

             O e-mail do produtor dela é: alexandre@acaua.net ou camila@acaua.net

            Enquanto cada vez mais os bispos do Brasil se organizam para **instituir ** a comunhão na mão como “norma litúrgica” – usando como desculpa a pandemia de gripe suína – o Santo Padre, caminhando na “contramão”, estuda manter “a comunhão na mão como algo *extraordinário*”. A notícia, dada por ACI, faz referência a uma matéria escrita pelo Vaticanista Andrea Tornielli. Eis a íntegra da reportagem de ACI (grifos meus):

 

              VATICANO, 24 Ago. 09 / 11:53 am (ACI).- O vaticanista italiano Andrea Tornielli informou que o Papa Bento XVI estaria considerando algumas modificações para a celebração da Missa, manteria a comunhão na mão como algo “extraordinário” e reformaria algumas partes do Missal para evitar abusos, dar maior sacralidade à Liturgia e favorecer a adoração eucarística.
            Em um artigo publicado no jornal “Il Giornale” e titulado “Ratzinger reforma a Missa: Não mais hóstia na mão”, Tornielli explica que em 4 de abril deste ano, o Cardeal Antonio Cañizares Llovera, Prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, entregou ao Santo Padre um documento com o resultado de uma votação reservada, ocorrida em 12 de março durante a plenária do mencionado dicastério para o que seria o primeiro passo para a “reforma da reforma” auspiciada pelo Pontífice.

            Quase por unanimidade, explica o vaticanista, os bispos membros desta Congregação decidiram: “dar maior sacralidade ao rito, recuperar o sentido da adoração eucarística, recuperar o latim na celebração e a re-elaboração das partes introdutórias da Missa para pôr um freio nos abusos, experimentos e a criatividade inoportuna”.

           Do mesmo modo, assinala, “mostraram-se favoráveis a reafirmar que o modo usual de receber a comunhão segundo as normas não é na mão, a não ser na boca. Embora seja certo que existe um indulto que os permite, dado o pedido de alguns episcopados para distribuir a Eucaristia na palma da mão, isto deve permanecer como um fato extraordinário”.
            Outra das medidas sugeridas pelo Cardeal Cañizares seria a de fazer que durante a consagração, pelo menos, o celebrante olhe para o Oriente, “como acontecia antes da reforma” litúrgica.
            Estas proposições, inspiradas pelo documento Sacrosanctum Concilium, estão em linha com o que foi expresso pelo Cardeal dias atrás pela publicação mensal 30Giorni, a quem disse “às vezes houve mudanças pelo simples gosto de mudar com respeito a um passado percebido como totalmente  negativo e superado. Às vezes se concebe a reforma como uma ruptura e não como um desenvolvimento orgânico da Tradição”.

            As propostas dos bispos também incluem o maior uso do latim, assim como a publicação de missais bilíngües, solicitude feita em seu momento pelo Papa Paulo VI, assinala Tornielli.

            O vaticanista precisa ademais que o Papa Bento XVI já aprovou estas solicitudes, pois estão “perfeitamente em linha com a idéia mais de uma vez expressa por Joseph Ratzinger quando era ainda Cardeal, como testemunha os extratos inéditos sobre a liturgia antecipados ontem pelo “Il Giornale” que serão publicados no livro Davanti al Protagonista (Diante do Protagonista); apresentado na véspera do Encontro de Rimini” que se realiza em Roma.
            Depois de ressaltar que o Santo Padre sabe que não serve de muito “lançar diretivas desde o alto, com o risco de que sejam letra morta”, Tornielli finaliza indicando que o estilo do Pontífice “é o de confrontar as coisas e sobre tudo, o exemplo. Como demonstra o fato que, há mais de um ano, quem deseja receber a comunhão do Papa, deve ajoelhar-se sobre o genuflexório preparado especialmente para as cerimônias”.

 

Adendos:

 

            Aos que lêem em italiano, aqui está o post original do Blog de Andréa Tornielli, publicado em 22/08.

            Aqui também trago o artigo original publicado em Il Gionarle. O título é bem à moda italiana: “Ratzinger riforma la messa Basta con l’ostia sulla mano” (Ratzinger reforma a missa: basta com a hóstia sobre a mão). Perfeito!

 

            A notícia é antiga, mas para quem ainda duvida do retorno triunfal do Neopaganismo Nazista em ascensão, é muito útil e esclarecedora:

 

            Hillary: Governo Obama promoverá o Eugenismo de Margaret Sanger no mundo

 

            WASHINGTON, D.C. (23/04/2009) (LifeSiteNews.com) — Numa audiência da Comissão de Assuntos Externos da Câmara dos Deputados dos EUA (…), a Secretária de Estado Hillary Clinton foi confrontada em seu compromisso declarado de promover a agenda global da eugenista Margaret Sanger, e foi questionada se o governo de Obama trabalharia para derrubar as leis pró-vida no mundo inteiro — Clinton confirmou essa prioridade.

            Numa audiência para debater a política externa do governo de Obama, Chris Smith, deputado federal de Nova Jérsei, questionou Clinton nas declarações dela ao receber o prêmio Margaret Sanger da Federação de Planejamento Familiar em 27 de março. Clinton disse que ela estava “realmente deslumbrada” com a fundadora da Federação de Planejamento Familiar.

            “O movimento de direitos reprodutivos do século 20, realmente personificado na vida e liderança de Margaret Sanger, foi um das coisas que mais transformaram a história inteira da raça humana”, Clinton havia dito. Ela também disse que o trabalho de Sanger “ainda não está terminado”.

            Smith ontem perguntou para Clinton acerca dos elogios dela à agenda eugênica de Sanger, dizendo que “é extraordinariamente difícil ver como alguém poderia se deslumbrar” com Sanger, que “não guardava segredo nenhum” de suas opiniões.

            “Com o respeito devido, senhora secretária, o legado de Sanger foi, na verdade, de transformação, mas não para melhor, se por acaso somos pobres, sem direitos, fracos, deficientes físicos, negros e bebês em gestação, ou entre os muitos tão chamados seres humanos indesejáveis que Sanger queria excluir e exterminar da raça humana”, disse Smith.

            “Os livros e artigos de Sanger exalam desprezo por aqueles que ela considera indignos de viver”, continuou ele. “Sanger era uma eugenista e racista descarada, e eu cito aqui o que ela mesma declarou, ‘A coisa mais misericordiosa que uma família faz para um de seus bebês é matá-lo’”.

            “Ela também disse, em outra ocasião, ‘A eugenia é a via mais adequada e completa para solucionar os problemas raciais, políticos e sociais’”.

            Smith perguntou, “Como parte do trabalho de Sanger que ainda não foi terminado”, se o governo de Obama busca “de algum modo enfraquecer ou derrubar as leis e políticas pró-vida em países africanos e latino-americanos, quer diretamente ou por meio de organizações multilaterais, inclusive e principalmente as Nações Unidas, a União Africana ou a Organização dos Estados Americanos, ou por meio de financiamento de ONG’s como a Federação Internacional de Planejamento Familiar?”

            Clinton respondeu: “Tenho a forte opinião de que você tem o direito de promover [o que você quiser] e todos os que concordam com você deveriam ter a liberdade de promover [o que você quiser] em qualquer lugar do mundo, e nós também temos esse direito”. (Vídeo em inglês com as respostas da Secretária Clinton: http://www.youtube.com/watch?v=-gEA97EnxE4)

            Clinton confirmou que o governo de Obama define “saúde reprodutiva” como abrangendo o aborto e que “nós somos agora um governo que protegerá os direitos das mulheres, inclusive seus direitos à assistência de saúde reprodutiva”.

            O deputado federal Jeff Fortenberry de Nebraska também disse para Clinton que ele estava “pasmo” com o compromisso dela com Sanger, e que ele estava “profundamente entristecido” com a resposta dela ao Dep. Smith.

            “Sanger defendia a eliminação dos deficientes físicos, dos oprimidos das crianças negras”, objetou Fortenberry. “Não creio que essas ideologias têm um lugar em nossa sociedade pluralista”.

            Condenando o uso de dinheiro de impostos para financiar o aborto em outros países como ”uma forma de neocolonialismo” que é “elitista, paternalista e uma agressão à dignidade dos pobres”, Fortenberry desafiou Clinton a, em vez disso, adotar uma política externa que “sustente os talentos da mulher e a vida abrigada dentro dela”.

            Clinton respondeu frisando que a “escolha” de carregar ou matar um bebê em gestação tem de estar disponível “para todas as mulheres”.

            Comentando acerca de uma declaração posterior sobre as observações de Clinton, Smith disse: “É evidente que a senhora Clinton e o presidente Obama querem forçar a tragédia do aborto nas mulheres ao redor do mundo, principalmente e inclusive em países em que líderes democraticamente eleitos querem continuar a proteger seus bebês em gestação. Há outros jeitos de se proteger, cuidar e ajudar as mulheres e os bebês, com alimentação, nutrição, água limpa e assistência de saúde que respeite a dignidade da vida”, disse ele.

            “A incapacidade da Secretária Clinton de ver isso significará que mais bebês morrerão e mais mulheres sofrerão as conseqüências do aborto como resultado da política externa dos EUA em outros países”.           

 

Adendos:

Kathleen Gilbert, “Secretária de Estado Hillary Clinton confessa que Obama trabalhará para desmantelar as leis mundiais que restringem o aborto”, veja original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=09042301

Saiu na “Veja”: “O ativismo pró-homossexualismo está diretamente ligado ao nazismo”: http://veja.abril.com.br/120809/homossexuais-podem-mudar-p-015.shtml

 

          Saiu na Folha esta notícia. Vamos aguardar para ver o que vem por aí…

 

            Cineasta Roland Joffé filma vida do fundador

da Opus Dei na Argentina

            O cineasta britânico Roland Joffé filma, na Argentina, “There Be Dragons”, obra a respeito da vida de Josemaría Escrivá de Balaguer, o sacerdote espanhol que fundou a Opus Dei, ligada à Igreja Católica, e foi canonizado em 2002. Escrivá será interpretado pelo britânico Charlie Cox, 26. O brasileiro Rodrigo Santoro também está no elenco.

            “Pensei que seria interessante contar uma história moderna a respeito de um homem que foi santificado, porque isso aconteceu há pouco tempo”, disse o cineasta em entrevista ao jornal argentino “El Clarín”. “O objetivo do filme não é falar da Opus Dei, mas sim questionar o que significar estar vivo. Fala também sobre emoções humanas, amor, ódio, desejo, adoração e experiência religiosa”, continuou.

            Entre atores e técnicos, 600 pessoas trabalham nas filmagens, que acontecem na praça Belgrano, na localidade de Luján, a cerca de 70 km a norte de Buenos Aires. Luján atrai centenas de milhares de peregrinos todos os anos para sua imponente basílica.

            No elenco estão ainda os americanos West Bentley e Geraldine Chaplin, a ucraniana Olga Kurylenko, o britânico Derek Jacobi e os espanhóis Ana Torrent e Jordi Mollá, entre outros.

            Do ponto de vista religioso, o cineasta conta com o apoio do padre americano John Wauck que mora na sede da Opus Dei em Roma e dá aulas de literatura e fé cristão na Pontifícia Universidade de Santa Cruz.

            Não é a primeira vez que Joffé escolhe a Argentina como cenário de seus filmes. Em 86, ele filmou nas Cataratas do Iguaçú e na selva das Missões “A Missão”, que tinha Robert de Niro e Jeremy Irons no elenco e que recebeu Oscar de melhor fotografia e a Palma de Ouro do Festival de Cannes

Próxima Página »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 47 outros seguidores